sicnot

Perfil

Mundo

Sonda japonesa segue em direção ao asteroide Ryugu após assistência

A Agência Aeroespacial do Japão (JAXA) informou hoje que a sonda Hayabusa 2 viaja na rota correta em direção ao seu objetivo, o asteroide Ryugu, depois de uma manobra de assistência.

reuters

A sonda realizou na semana passada (a 03 de dezembro) esta manobra, em que o dispositivo se aproximou do planeta Terra (a cerca de 3.100 quilómetros) para aproveitar a energia do campo gravitacional planetário e aumentar assim a sua velocidade e colocar-se numa nova órbita em direção ao asteroide.

Após a manobra, os técnicos da JAXA analisaram a órbita da sonda e confirmaram hoje que esta é correta e que a Hayabusa 2 funciona com total normalidade.

A nave tem previsto aterrar no asteroide Ryugu (originalmente designado 1999JU3) entre junho e julho de 2018 e regressar a Terra com amostras obtidas do mesmo em 2020.

O 1999JU3 é um asteroide com cerca de 900 metros de largura descoberto em 1999 pelo programa de investigação norte-americano LINEAR e faz parte dos chamados asteroides Apolo, um dos três grupos que estão mais perto da Terra.

Os cientistas da JAXA consideram que Ryugu contém água e matéria orgânica e esperam que as amostras possam servir para decifrar algumas informações sobre a origem da vida na Terra.

Esta é a segunda sonda do programa Hayabusa, o primeiro que conseguiu trazer de volta a Terra amostras de um asteroide.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.