sicnot

Perfil

Mundo

União Europeia abre novo capítulo do processo de adesão da Turquia

A União Europeia abriu hoje um novo capítulo das negociações do processo de adesão da Turquia, anunciou, em conferência de imprensa, Jean Asselborn, ministro dos Negócios do Luxemburgo, o país que atualmente preside à UE.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Murad Sezer / Reuters

O "capítulo 17", referente à política económica e monetária, foi aberto depois de um interregno de dois anos nas negociações de adesão da Turquia e avança após a reunião interministerial de hoje, em Bruxelas, dos chefes da diplomacia comunitária e duas semanas depois de uma cimeira informal entre a UE e a Turquia sobre migrações.

O governante luxemburguês precisou que o capítulo 17 trata, por exemplo, das regras de independência dos bancos centrais dos Estados membros e vigilância orçamental.

Jean Asselborn sublinhou que não se trata de "abrir as portas à Turquia para o euro", explicando que todos os candidatos "têm que aplicar reformas e regras" para integrarem a União Europeia.

O processo de adesão turco tem agora 15 capítulos abertos de um total de 35, precisou o ministro, lembrando que o início das negociações começou há 10 anos.

Aos jornalistas o luxemburguês reafirmou a necessidade da Turquia como "parceiro estratégico em várias áreas internacionais como migração, combate ao terrorismo, clima, energia e comércio".

O comissário da Política Europeia de Vizinhança e Negociações de Alargamento, Johannes Hahn, afirmou ser este um sinal de que o processo está a avançar e destacou o esforço da Turquia em termos económicos, como a diminuição da sua dívida de 70 para 30% do PIB.

Por seu lado, o chefe da diplomacia turca, Mevlut Cavusoglu, sublinhou que a abertura de "um ou mais capítulos não devem esperar mais dois anos", não deixando de saudar este "reenergizar" da cooperação entre as duas partes.

O ministro turco responsável pelos Assuntos Europeus, Volkan Bozkir, destacou a vontade da Turquia integrar o espaço comunitário em pleno, "com todos os direitos e obrigações".

"Não foi a abertura apenas de um capítulo, mas de uma nova fase para a adesão", resumiu o governante, assumindo que a cimeira do final de novembro sobre migrações foi um "novo começo" das relações, que incluem aceleração para facilitar vistos, colaboração na crise dos refugiados e combate ao terrorismo.

Integrando também o vice-primeiro-ministro Mehmet Simsek, a delegação da Turquia participou num almoço informal com os ministros dos Negócios Estrangeiros dos 28. Na ocasião, esteve o ministro português Augusto Santos Silva.

O processo de adesão da Turquia encontrou várias resistências como do Chipre, ilha dividida em que a parte norte é controlada pela Turquia.

Lusa

  • PS vai continuar a procurar entendimentos à esquerda
    1:38
  • Carlos César admite diálogo "mais fácil" com PSD de Rio
    1:36

    País

    O presidente e líder parlamentar do PSD diz que o partido não precisa de novos aliados, mas acredita que vai ser mais fácil dialogar com o PSD liderado por Rui Rio, Carlos César visitou esta segunda-feira as regiões afetadas pelos incêndios do ano passado, no primeiro dia das jornadas parlamentares dos socialistas.

  • 22 mortos devido a gripe H1N1 no Equador

    Mundo

    Uma epidemia de gripe H1N1 provocou a morte de 22 pessoas no Equador, onde estão diagnosticados perto de 500 casos, anunciou esta segunda-feira o vice-ministro da Saúde, Carlos Duran.

  • Benfica é o único clube português na lista dos mais ricos
    1:34
  • Papa pede perdão a vítimas de abusos por ter usado expressão "menos feliz"
    1:21

    Mundo

    No final da visita à América Latina, já no avião de regresso a Roma, o Papa Francisco pediu desculpa às vítimas de abusos sexuais no Chile. O líder da Igreja católica considerou que utilzou uma expressão menos "feliz" quando saiu em defesa do bispo Juan Barros, exigindo "provas" a quem o acusa de não ter agido.

  • Os três pontos de Ronaldo
    1:16
  • Decifrado pergaminho encontrado há 50 anos

    Mundo

    Investigadores israelitas reconstituíram e decifraram um dos dois manuscritos de pergaminhos do Mar Morto que nunca tinham sido interpretados desde que foram descobertos há meio século, anunciou a universidade israelita de Haifa.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC