sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia Internacional denuncia morte de xiitas pelo exército da Nigéria

A Amnistia Internacional (AI) considerou hoje que a morte de membros de um grupo religioso xiita em Zaria, província de Kaduna, Nigéria, pelo exército nigeriano, deve ser "urgentemente investigado" com o envio dos eventuais responsáveis perante a justiça.

© Akintunde Akinleye / Reuters

"Enquanto ainda permanece por esclarecer o número total de mortos, não restam dúvidas que se registou uma substancial perda de vidas humanas às mãos dos militares", considerou M. K. Ibrahim, diretor para a Nigéria da AI.

"As armas de fogo devem ser utilizadas apenas como último recurso, se foram estritamente necessárias para proteger vidas humanas. É crucial que as autoridades demonstrem contenção no uso da força e assegurem que qualquer responsável por mortes à margem da lei deverá comparecer perante a justiça para um julgamento justo", indicia o comunicado da organização de direitos humanos.

Para além das vítimas, a AI denuncia ainda a "prisão de muitos membros do Movimento Islâmico da Nigéria (IMN), incluindo o líder do grupo, Ibraheem Zakzaky, que foi levado da sua residência na manhã de domingo e permanece detido. Não é claro que tenha acesso a um advogado. As informações sugerem que os mortos e feridos foram levados para o hospital militar e para um hospital universitário".

A organização, sediada em Londres, recorda ainda a "história de mortes ilegais e outras violações dos direitos humanos" atribuídas às forças de segurança nigerianas, incluindo nas operações contra o grupo islamita Boko Haram e onde as forças militares nigerianas "também cometeram no nordeste da Nigéria sérias violações dos direitos humanos, crimes de guerra e outros atos que podem constituir crimes contra a humanidade".

"É necessária uma investigação urgente e imparcial sobre estas mortes. Qualquer responsável por mortes à margem da lei deverá comparecer perante a justiça. Deve ser garantida assistência médica aos que permanecem detidos, que devem ser indiciados por uma reconhecida ofensa criminal, ou libertados", concluiu M. K. Ibrahim.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • Homem e cão resgatados das águas na Andaluzia
    0:32