sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 17 corpos encontrados numa ravina no México

As autoridades mexicanas encontraram pelo menos 17 corpos numa ravina, no violento Estado de Guerrero, revelou hoje um funcionário do gabinete do procurador-geral.

Foram encontrados "nove corpos completos e oito meio-carbonizados", revelou a mesma fonte, a coberto do anonimato, acrescentando que os cadáveres foram descobertos entre os dias 08 e 11 de dezembro na aldeia de Chichihualco.

Desconhece-se a identidade, a idade ou o sexo das vítimas e as autoridades ainda não conseguiram determinar quando morreram.

O Estado mexicano de Guerrero tem sofrido anos de violência devido aos cartéis da droga, com gangues a cultivarem papoilas de ópio em montanhas remotas e batalhas pelo controlo das rotas de tráfico de heroína.

Um pouco por toda a região, são frequentemente encontradas sepulturas clandestinas contendo um ou vários corpos.

Em Guerrero, 43 professores estagiários foram sequestrados pela polícia corrupta na cidade de Iguala em setembro de 2014 e, de acordo com os promotores, entregues a um gangue que os matou, incinerando depois os corpos.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras