sicnot

Perfil

Mundo

Polícia iraniana parou 40 mil carros devido a mulheres com lenço mal posto

O chefe da polícia de trânsito de Teerão anunciou que nos últimos oito meses foram tomadas medidas contra cerca de 40.000 carros com mulheres que não cobriam corretamente a cabeça com um lenço, segundo a agência Isna.

© Raheb Homavandi / Reuters

O general Teymur Hosseini disse que "na maioria dos casos, as viaturas foram apreendidas e o dossiê foi enviado para o tribunal".

Em novembro, a polícia tinha anunciado que seriam apreendidos durante uma semana os carros com uma condutora ou passageira sem lenço ou com ele mal colocado.

A utilização do lenço na cabeça é obrigatória no Irão para as mulheres, sejam iranianas ou estrangeiras e independentemente da sua religião, desde a revolução islâmica de 1979.

Nos últimos anos, no entanto, tem havido um relaxamento do código de vestuário das mulheres e nas ruas da capital e de outras grandes cidades não é raro ver condutoras com os lenços sobre os ombros ou mulheres com casacos mais justos e mais curtos do que era habitual.

O presidente Hassan Rohani, um religioso moderado eleito em junho de 2013, defende uma maior abertura política e social do país, nomeadamente no que se refere ao respeito do código de vestuário.

Lusa

  • CGD terá de reconhecer imparidades e prepara saída de 2 mil funcionários
    2:45

    Caso CGD

    O novo plano estratégico da Caixa está pronto e foi entregue há duas semanas ao Ministério das Finanças. A SIC sabe que está a ser preparada a saída de 2 mil trabalhadores e que o banco terá de reconhecer imparidades. O Expresso diz que a CGD vai fechar o ano com prejuízos que podem chegar aos 3 mil milhões de euros.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.