sicnot

Perfil

Mundo

Músico espanhol tocou saxofone enquanto era operado a tumor no cérebro

Um músico espanhol, operado em outubro passado a um tumor no cérebro, revelou esta quarta-feira em conferência de imprensa em Málaga, sul de Espanha, as suas impressões da operação cirúrgica, em que se manteve acordado e a tocar saxofone.

Ao músico (na imagem) foi dada somente uma sedação e analgésicos durante a intervenção, com o objetivo de estar acordado para se poder realizar a estimulação elétrica do córtex, o manto do tecido nervoso que cobre a superfície do cérebro.

Ao músico (na imagem) foi dada somente uma sedação e analgésicos durante a intervenção, com o objetivo de estar acordado para se poder realizar a estimulação elétrica do córtex, o manto do tecido nervoso que cobre a superfície do cérebro.

JORGE ZAPATA / Lusa

A intervenção cirúrgica foi realizada no Hospital regional de Málaga em Carlos Aguilera, de 27 anos, no passado dia 15 de outubro e o paciente ajudou a equipa médica a identificar as áreas cerebrais relacionadas com a linguagem contando números, lendo frases e interpretando fragmentos de peças musicais.

A operação, a primeira vez deste tipo na Europa, serviu para retirar um tumor na parte do córtex cerebral ligado à linguagem musical, e o paciente foi mantido consciente e a tocar saxofone para evitar sequelas.

Ao músico foi dada somente uma sedação e analgésicos durante a intervenção, com o objetivo de estar acordado para se poder realizar a estimulação elétrica do córtex, o manto do tecido nervoso que cobre a superfície do cérebro.

"Há dois meses estava deitado numa cama e agora posso decidir que vida me espera, como se tivesse voltado a nascer", disse Aguilera na conferência de imprensa, em que interpretou três músicas com o saxofone, o seu instrumento de trabalho numa orquestra e que começou a tocar aos nove anos.

Apesar da complexidade da intervenção, o jovem afirmou que sentia-se "como se estivesse deitado na praia", pois não imaginava nada daquilo que viu depois no vídeo da intervenção cirúrgica.

Lusa

  • Google Maps esconde mansão de Puigdemont na Bélgica

    Mundo

    Depois de fugir de Espanha, Carles Puigdemont refugiou-se na Bélgica para evitar uma possível extradição. O refúgio que encontrou foi uma mansão no município de Waterloo, por 4.400 euros ao mês. Agora, a pedido do ex-presidente do Governo da Catalunha, essa mesma mansão foi "apagada" do Google Maps.

    SIC

  • 50 empresas estão a recrutar na Universidade Católica
    1:46

    Economia

    A Universidade Católica de Lisboa reuniu 50 empresas nacionais e internacionais numa feira de emprego esta terça-feira e amanhã. As empresas procuram novos candidatos para os lugares que têm disponíveis nos departamentos de Economia, Finanças e Gestão.