sicnot

Perfil

Mundo

Número de execuções nos EUA foi o mais baixo dos últimos 16 anos

Os Estados Unidos executaram este ano 28 pessoas, o número mais baixo dos últimos 16 anos, dados que refletem uma mudança de mentalidades e dão esperança aos defensores da abolição da pena de morte, segundo um relatório hoje divulgado.

O relatório anual elaborado pelo Centro de Informação da Pena de Morte (DPIC, na sigla em inglês) destacou que o decréscimo do uso da pena capital nos Estados Unidos é verificável através de vários ângulos de análise.

Apenas seis Estados norte-americanos -- entre os 31 que ainda aplicam a pena de morte -- concretizaram a execução de condenados.

Entre 2014 e 2015, o número de execuções desceu 20%, de 35 para 28 casos. E só três Estados concentraram 86% das execuções: Texas (13), Missouri (6) e Geórgia (5).

As condenações à pena de morte também registaram uma diminuição acentuada este ano: até dia 15 de dezembro, os tribunais norte-americanos condenaram à pena capital um total de 49 acusados, um decréscimo de 33% em comparação com 2014.

É também o número mais baixo desde o início da década de 1970, quando o Supremo Tribunal dos Estados Unidos suspendeu temporariamente a pena de morte.

"Estes não são apenas dados estatísticos anuais. Refletem uma ampla mudança de mentalidades sobre a pena de morte em todo o país", referiu o diretor do DPIC, Robert Dunham.

O centro norte-americano reúne todos os dados disponíveis sobre a pena de morte, mas não toma posição sobre a aplicação da pena capital.

Um dos fatores que pode explicar esta tendência de decréscimo é a escassez dos produtos utilizados nas injeções letais. Várias empresas farmacêuticas, a maioria europeias, têm recusado o fornecimento aos Estados Unidos destas substâncias mortais.

Durante o ano passado, vários Estados norte-americanos também decidiram suspender a aplicação da sentença de morte depois de alguns casos de execuções "falhadas".

Estes casos chocaram a opinião pública norte-americana, uma vez que os condenados estavam longos momentos em agonia e sofrimento, numa clara violação da oitava emenda da Constituição norte-americana que proíbe a aplicação de "penas cruéis e invulgares".

Lusa

  • Funcionários públicos hoje em greve
    1:37

    Economia

    Os funcionários públicos estão hoje em greve. A paralisação pode fechar algumas escolas, centros de saúde e outros serviços públicos. O fim da precariedade e o reforço de pessoal são duas das reivindicações do protesto.

  • Oliveira Costa "era incompetente para todos os lugares em que eu o vi"
    3:12

    Quadratura do Círculo

    O caso BPN esteve em destaque no programa Quadratura do Circulo desta quinta-feira. Pacheco Pereira relembrou que os maiores prejuízos são posteriores à nacionalização e responsabiliza José Sócrates. O Jorge Coelho disse que se fez justiça e que é uma prova que o Estado de direito português está a funcionar. Lobo Xavier garantiu também que Oliveira Costa era incompetente por natureza.

  • Nove distritos sob aviso amarelo devido à chuva

    País

    Nove distritos de Portugal continental estão hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros por vezes fortes e de granizo, acompanhados de trovoada e rajadas fortes, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). Bragança, Viseu, Porto, Vila Real, Guarda, Viana do Castelo, Castelo Branco, Coimbra e Braga são os distritos sob aviso o amarelo, o terceiro mais grave de uma escala de quatro.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.