sicnot

Perfil

Mundo

Trump descarta candidatura independente à Casa Branca

O magnata nova-iorquino e aspirante a candidato republicano à Presidência dos EUA Donald Trump descartou hoje apresentar-se como independente nas eleições de 2016 se não for nomeado pelo Partido Republicano.

Reuters

"Vou ser um republicano, não vou criar um terceiro partido. Não importa o que aconteça", disse o magnata que na semana passada tinha voltado a deixar no ar a possibilidade de se apresentar como independente na corrida presidencial de 2016 se não receber um "tratamento justo" parte dos dirigentes conservadores.

"Tenho um compromisso total com o Partido Republicano. Honra-me estar a liderá-lo. Creio que o farei muito bem se for eleito e farei tudo o que estiver ao meu alcance para vencer Hillary Clinton [a favorita para a nomeação do Partido Democrata]", afirmou Trump, ao ser questionado sobre o assunto durante o debate desta noite entre os pré-candidatos republicanos às eleições de 2016.

Esta foi a primeira vez em que o magnata descartou totalmente essa possibilidade, o que desencadeou aplausos por parte do plateia e também do jornalista que colocou a questão, Hugh Hewitt.

Os moderadores da CNN também lançaram a mesma questão ao neurocirurgião na reforma Ben Carson, que também tinha ameaçado abandonar o Partido Republicano, na sequência da publicação de uma informação segundo a qual o aparelho do partido pretendia encontrar um candidato de consenso, independentemente das primárias.

"O comentário que fiz na semana passada de que iria deixar o partido estava subordinado à ideia de o partido agir como o fez no passado, com muitos subterfúgios e pouca honestidade", disse Carson, que explicou que o presidente do Comité Nacional Republicano, Reince Priebus, assegurou que a informação publicada não era correta.

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.