sicnot

Perfil

Mundo

Tufão Melor faz pelo menos 14 mortos nas Filipinas

Pelo menos 14 pessoas morreram à passagem do tufão Melor pelo centro das Filipinas, que causou elevados prejuízos na zona com ventos de até 185 quilómetros por hora e chuva intensa durante dois dias.

© CHARLIE SACEDA / Reuters

O Conselho de Gestão e Redução de Risco de Desastres do país anunciou, no seu mais recente relatório, que oito pessoas morreram e 12 ficaram feridas.

No entanto, as autoridades locais das províncias afetadas indicaram que mais seis pessoas perderam a vida nas cheias e inundações causadas pelo Melor.

Batizado "Nona" pelas autoridades locais, o Melor estava hoje a afastar-se da costa nordeste das Filipinas.

O tufão causou graves prejuízos nas habitações, infraestruturas e plantações agrícolas.

Segundo o Conselho de Gestão e Redução de Risco de Desastres, cerca de 109 mil casas sofreram danos e 12 mil famílias (cerca de 60 mil pessoas) continuavam em centros de abrigo.

Além disso, duas cidades e 38 municípios das regiões afetadas continuavam sem eletricidade e só a deverão recuperar dentro de seis dias, quando a rede elétrica for reparada.

Entretanto, as autoridades filipinas preveem a chegada do ciclone tropical Onyok, que se aproxima da região de Mindanao com ventos de até 55 quilómetros por hora.

A Agência Meteorológica das Filipinas espera que o Onyok, que se encontra a cerca de 600 quilómetros da costa filipina, toque terra na sexta-feira e cause chuvas fortes.

Entre 15 e 20 tufões atingem anualmente as Filipinas durante a época das chuvas, que decorre habitualmente entre junho e novembro.

Lusa

  • "Quem faz isto sabe estudar os dias e o vento para arder o máximo possível"
    4:15
  • O balanço trágico dos incêndios do fim de semana
    0:51

    País

    Mais de 500 mil hectares de área ardida, 42 vítimas mortais, 71 de feridos, dezenas de casas e empresas destruídas. É este o balanço de mais um fim de semana trágico para Portugal a nível de incêndios florestais.

  • 2017: o ano em que mais território português ardeu
    1:41

    País

    Desde janeiro, houve mais área ardida do que em qualquer outro ano na história registada de incêndios florestais. Segundo dados provisórios do Sistema Europeu de Informação sobre Fogos Florestais, mais de 519 mil hectares foram consumidos pelas chamas até 17 de outubro, o que representa quase 6% de toda a área de Portugal. 

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • O que resta de Tondela depois dos incêndios
    1:07

    País

    O concelho de Tondela é agora um mar de cinzas, imagens recolhidas pela SIC com um drone mostram bem a dimensão do que foi destruído pelos incêndios. Perto 100 habitações principais ou secundárias, barracões, oficinas e stands arderam. 

  • Moradores reuniram esforços para salvar idosos das chamas em Pardieiros
    2:50

    País

    O incêndio de domingo em Nelas fez uma vítima mortal: um homem de 50 anos, de Caldas da Felgueira, que regressava de uma aldeia vizinha, onde tinha ido ajudar a combater as chamas. Em Pardieiros, no concelho de Carregal do Sal, várias casas arderam e uma jovem sofreu queimaduras ao fugir do incêndio. Durante o incêndio, pessoas reuniram esforços para salvar a povoação.

  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.

  • As lágrimas do primeiro-ministro do Canadá

    Mundo

    O primeiro-ministro da Canadá, Justin Trudeau, emocionou-se esta quarta-feira ao falar de um artista que morreu depois de perder uma luta contra o cancro. Gord Downie, vocalista da banda de rock canadiana "The Tragically Hip", faleceu esta terça-feira, aos 53 anos, vítima de um tumor cerebral.