sicnot

Perfil

Mundo

Tufão Melor faz pelo menos 14 mortos nas Filipinas

Pelo menos 14 pessoas morreram à passagem do tufão Melor pelo centro das Filipinas, que causou elevados prejuízos na zona com ventos de até 185 quilómetros por hora e chuva intensa durante dois dias.

© CHARLIE SACEDA / Reuters

O Conselho de Gestão e Redução de Risco de Desastres do país anunciou, no seu mais recente relatório, que oito pessoas morreram e 12 ficaram feridas.

No entanto, as autoridades locais das províncias afetadas indicaram que mais seis pessoas perderam a vida nas cheias e inundações causadas pelo Melor.

Batizado "Nona" pelas autoridades locais, o Melor estava hoje a afastar-se da costa nordeste das Filipinas.

O tufão causou graves prejuízos nas habitações, infraestruturas e plantações agrícolas.

Segundo o Conselho de Gestão e Redução de Risco de Desastres, cerca de 109 mil casas sofreram danos e 12 mil famílias (cerca de 60 mil pessoas) continuavam em centros de abrigo.

Além disso, duas cidades e 38 municípios das regiões afetadas continuavam sem eletricidade e só a deverão recuperar dentro de seis dias, quando a rede elétrica for reparada.

Entretanto, as autoridades filipinas preveem a chegada do ciclone tropical Onyok, que se aproxima da região de Mindanao com ventos de até 55 quilómetros por hora.

A Agência Meteorológica das Filipinas espera que o Onyok, que se encontra a cerca de 600 quilómetros da costa filipina, toque terra na sexta-feira e cause chuvas fortes.

Entre 15 e 20 tufões atingem anualmente as Filipinas durante a época das chuvas, que decorre habitualmente entre junho e novembro.

Lusa

  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira