sicnot

Perfil

Mundo

WhatsApp bloqueado no Brasil por 48 horas

As principais companhias telefónicas do Brasil foram intimadas pela Justiça a bloquear o serviço da aplicação de mensagens WhatsApp em todo o território brasileiro por 48 horas, a partir de hoje, divulgou a imprensa brasileira.

© Nacho Doce / Reuters

Segundo o portal de notícias na internet G1, clientes das três principais companhias de comunicações móveis -- Claro, Tim e Vivo -- relataram que o WhatsApp saiu do ar ao fim da noite de quarta-feira.

A determinação judicial foi confirmada pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa as companhias Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) afirma que a decisão partiu da 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo, e está em segredo de justiça.

De acordo com o tribunal, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015 e a empresa foi notificada mais uma vez a 07 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.

O WhatsApp não atendeu à determinação novamente, de acordo com o TJ-SP, por isso, "o Ministério Público pediu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet".

Eduardo Levy, presidente do SindiTeleBrasil, declarou que as companhias são obrigadas a atender a determinação e que não é do interesse destas bloquear o WhatsApp no país.

"Temos interesse em regras que sejam mais leves para o setor", disse Levy ao portal G1.

Em fevereiro, um juiz do estado do Piauí já tinha determinado que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao aplicativo de mensagens.

O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013.

"Um dia triste para o país", diz Zuckerberg

Mark Zuckerberg, cofundador e presidente-executivo do Facebook, comentou hoje o bloqueio do WhatsApp no Brasil e declarou que este é "um dia triste para o país".

Em mensagem publicada em sua página pessoal do Facebook, Zuckerberg também citou que está "a trabalhar duro para reverter a situação", acrescentando o facto de 100 milhões de usuários terem ficado sem o serviço do aplicativo no Brasil nestas 48 horas.

O Facebook anunciou a compra do Whatsapp em fevereiro de 2014, por 22 mil milhões de dólares (20,2 mil milhões de euros).

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.