sicnot

Perfil

Mundo

Tufão Melor matou 34 pessoas nas Filipinas

O número de mortos nas Filipinas devido à passagem do tufão Melor subiu para 34 e há cinco pessoas que continuam desaparecidas, revelaram hoje as autoridades do país.

(Arquivo)

(Arquivo)

© KYODO Kyodo / Reuters

O tufão, que provocou chuvas intensas nas Filipinas e ventos que alcançaram os 185 quilómetros por hora, atingiu o país a meio da semana e deixou, ainda, 24 feridos, segundo o último balanço oficial.

Além disso, 740 mil pessoas foram retiradas das suas casas e 362 mil ainda não puderam regressar.

O tufão também danificou 166 casas, sendo que 43 mil estão completamente destruídas. Milhares de pessoas permanecem sem eletricidade.

As autoridades filipinas estimam ainda que o tufão tenha provado estragos de 35 milhões de euros em diversas infraestruturas agrícolas.

O presidente das Filipinas, Benigno Aquino, declarou na sexta-feira o estado de calamidade nacional, para agilizar o processo de reconstrução e a ajuda humanitária aos afetados.

Entre 15 e 20 tufões atingem anualmente as Filipinas durante a época das chuvas, que decorre habitualmente entre junho e novembro.

Lusa

  • As zonas de guerra que o fogo deixou
    3:13

    País

    A chuva finalmente ajudou na luta contra as chamas e o que fica agora é um cenário de devastação no norte e centro do país. Morreram 37 pessoas, arderam centenas de casas e empresas e há críticas severas à falta de meios.

  • Visto do céu, Portugal é um país que se vestiu de negro
    3:28
  • Portugueses usam Facebook para marcar protestos contra incêndios

    País

    Os incêndios que têm acontecido este ano estão a causar revolta entre a população. Por essa razão, estão marcadas, através da rede social Facebook, várias manifestações para os próximos dias um pouco por todo o país. Os portugueses exigem a melhoria do sistema, para que as tragédias deste ano não se voltem a repetir.

  • "Estou a ficar sem água, vai ser um trabalho inglório"
    1:06
  • "Quem está no Governo tem sérias responsabilidades"
    1:07

    Opinião

    Pacheco Pereira aponta falhas do Estado, dos bombeiros e da Proteção Civil como causa dos incêndios que assolaram o país no passado domingo. O comentador da SIC considera que o Governo tem responsabilidade perante o que aconteceu.

  • Presidente das Indústrias de Madeira diz que fogos estão a afetar o setor
    0:39

    País

    A Associação das Indústrias de Madeira e Mobiliário desvaloriza que os industriais do setor possam comprar madeira mais barata, em resultado dos incêndios florestais. Em entrevista na SIC Notícias, o presidente da associação, Vítor Poças, considera que os fogos estão a prejudicar gravemente a indústria.