sicnot

Perfil

Mundo

China oferece-se para acolher negociações entre Governo sírio e oposição

O Governo chinês ofereceu-se para acolher as negociações entre representantes do Governo sírio e da oposição, visando uma "saída política" para o conflito que perdura há quase cinco anos, disse hoje o ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

Remy de la Mauviniere

"A China convidará representantes do Governo sírio e da oposição a visitar a China como forma de procurar uma saída política para o conflito", afirmou um porta-voz do ministério, Hong Lei.

O porta-voz não precisou se as negociações fazem parte do acordo aprovado pelo Conselho de Segurança da ONU na passada sexta-feira.

Wang Yi, o ministro dos Negócios Estrangeiros chinês, tornou pública a proposta da China em Nova Iorque no passado sábado, após o Conselho de Segurança da ONU se ter reunido, visando pôr fim à guerra civil na Síria.

A resolução, aprovada por unanimidade, baseia-se nos acordos internacionais definidos no mês passado em Viena e que preveem o início de negociações, em janeiro, entre o regime sírio e a oposição e o estabelecimento de um cessar-fogo.

O texto estabelece um prazo de seis meses para que as duas partes designem um Governo de transição e de 18 meses para a realização de eleições.

O porta-voz chinês disse que o encontro entre o Executivo sírio e a oposição se realizará "em breve", e acrescentou que o ministério chinês informará sobre a reunião "no seu devido tempo", recusando avançar com mais detalhes.

  • Eis os novos heróis de Vila de Aves
    3:03
  • Desportivo das Aves fora da Liga Europa

    Desporto

    O Desportivo das Aves não vai à Liga Europa e o Sporting terá entrada direta na fase de grupos. Apesar da conquista da Taça de Portugal, a equipa avense não se licenciou em tempo útil para poder participar na prova da UEFA, apurou a SIC.

  • E agora, Sporting? Semana de decisões e incertezas
    2:53
  • "Para primeiro dia de pesca da sardinha, não foi mau"
    2:19
  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29

    País

    José Sócrates garantiu este domingo que não atacará o PS e que continua a ser socialista. O antigo primeiro-ministro participou num almoço de apoio, em Lisboa, com cerca de 100 pessoas, a maioria anónimos.