sicnot

Perfil

Mundo

Chineses desenvolvem polígrafo com reconhecimento facial e inteligência artificial

Cientistas chineses desenvolveram um polígrafo que deteta mentiras utilizando tecnologias de reconhecimento facial e inteligência artificial, divulgou hoje a agência de notícias oficial chinesa Xinhua.

Fernando Vergara/AP arquivo

Os investigadores que criaram o polígrafo, da empresa chinesa Cloudwalk (associada à Academia Chinesa de Ciências) e da Universidade Jiaotong de Xangai, afirmam que o seu método é mais fiável que os polígrafos tradicionais, que se baseiam em medições da tensão sanguínea.

O novo detetor de mentiras tem em conta o sexo da pessoa, as suas expressões faciais, o pulso e características de voz através de uma câmara e um sensor que podem funcionar tanto de dia como de noite.

Também é equipado com cinco módulos de reconhecimento: facial, de voz, semântico, morfológico, físico, assim como outro de decisão inteligente.

Desse modo, o polígrafo realiza um estudo da pessoa e, graças à informação acumulada, o seu sistema de inteligência artificial permite analisar os pensamentos e sensações do observado.

"Os polígrafos tradicionais às vezes não funcionam com as pessoas que receberam treino profissional" para mentir, disse Zhou Xi, conselheiro delegado da Cloudwalk e um dos responsáveis do desenvolvimento do dispositivo, em declarações à Xinhua.

Lusa

  • Queixas sobre comércio online dispararam em 2017

    Economia

    A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) recebeu 1.642 reclamações sobre compras feita pela internet em 2017, numa média de quatro queixas por dia, número que sobe para 8.538 no caso da rede social Portal da Queixa.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Mais de 60% dos jovens não usam preservativo
    1:42
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52