sicnot

Perfil

Mundo

Exército da Nigéria mata 300 membros de seita xiita, denuncia a HRW

A organização Human Rights Watch (HRW) denunciou hoje o massacre de cerca de 300 membros do Movimento Islâmico da Nigéria, com atividade no norte do país, mas sem ligação ao grupo radical Boko Haram.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Joe Penney / Reuters

Soldados nigerianos mataram os fiéis xiitas em ataques registados em três pontos da cidade de Zaria, entre 12 e 14 de dezembro, relataram testemunhas e autoridades locais à organização, segundo um comunicado.

Pelo menos 300 xiitas morreram, além de um número indeterminado de feridos, e os soldados queimaram os corpos em valas comuns, sem a autorização das respetivas famílias, escreve a agência Efe.

O Movimento Islâmico da Nigéria é uma seita xiita com ligações estreitas ao Irão e estabelecido em Zaira, no estado nigeriano de Kaduna.

O grupo iniciou a sua atividade no país africano em 1980 e conta com cerca de três milhões de fiéis na Nigéria.

"Não tem ligações ao Boko Haram, um grupo radical que opera também no norte da Nigéria e cujos membros têm atacado xiitas e outros", esclareceu a HRW.

A Nigéria vive sob ameaça do grupo 'jihadista' Boko Haram, que luta por impor um estado islâmico no norte do país, o que desencadeou uma violenta repressão por parte do exército, que cometeu violações contra os direitos humanos, escreve a agência Efe.

Lusa

  • "Almaraz: Uma bomba-relógio aqui ao lado"
    1:56
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.