sicnot

Perfil

Mundo

Dois birmaneses condenados à morte por homicídio de dois turistas na Tailândia

Um tribunal na Tailândia condenou hoje dois birmaneses à morte depois de os declarar culpados dos homicídios de dois turistas britânicos quando estes estavam de férias na Tailândia em setembro de 2014, após um julgamento controverso.

© Athit Perawongmetha / Reuters

"Os dois acusados são culpados de homicídio e condenados à pena de morte", disse o juiz, acrescentando que eles também foram "condenados por violação e conspiração para ocultar o crime".

David Miller, de 24 anos, e Hannah Witheridge, de 23, foram encontrados mortos numa praia da ilha de Koh Tao a 15 de setembro do ano passado.

No início da investigação, a polícia questionou vários funcionários de um local de entretenimento na ilha, incluindo a família de um chefe local, encontrar os culpados.

No início de outubro de 2014, a polícia da Tailândia deteve três migrantes birmaneses suspeitos de terem assassinado os jovens turistas britânicos, dos quais dois admitiram o crime.

No entanto, os dois homens -- Zaw Lin e Win Zaw - disseram posteriormente que tinham sido torturados para confessar os crimes.

Andy Hall, ativista da Rede pelos Direitos dos Trabalhadores Migrantes (MWRN, na sigla em inglês), disse à Efe que os advogados dos acusados, Zaw Lin e Win Zaw Tun, ambos de 22 anos, vão recorrer do veredito do tribunal na ilha vizinha de Koh Samui.

"Não concordamos com a decisão e vamos recorrer. Ocorreram muitos problemas, falta de provas... O juiz não conseguiu provar a culpa, na nossa opinião", disse Hall, que prestou assistência aos acusados desde o início do processo.

O ativista disse que os dois trabalhadores migrantes birmaneses estão tranquilos e mantêm a esperança de ver reconhecida a sua inocência, no recurso que deverá realizar-se nos próximos 30 dias.

Koh Tao, que nos anos 1930 e 1940 alojava uma prisão para prisioneiros políticos, é um dos destinos mais populares da Tailândia.

As autoridades tailandesas acusam com frequência imigrantes birmaneses e cambojanos de cometerem crimes no país, onde constituem uma grande força laboral.

A polícia insistiu, porém, que não iria procurar um 'bode expiatório', apesar de estar sob forte pressão para apresentar resultados sobretudo depois de críticas de que não terá sido diligente nas investigações iniciadas após a descoberta dos corpos.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.