sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Sul e Japão chegam a acordo sobre "mulheres de conforto"

A Coreia do Sul e o Japão alcançaram hoje um acordo sobre o delicado assunto das escravas sexuais coreanas da II Guerra Mundial, revelou o ministro dos Negócios Estrangeiros sul-coreano.

Reuters

O acordo vai ser "final e irreversível" se o Japão cumprir as suas responsabilidades, afirmou o chefe da diplomacia da Coreia do Sul, Yun Byung-Se, em declarações aos jornalistas, após conversações com o seu homólogo japonês, Fumio Kishida.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Sul e do Japão reuniram-se hoje, pelas 14:00 (05:00 em Lisboa), em Seul, para tratar da delicada questão das mulheres coreanas obrigadas a prostituírem-se pelo exército nipónico durante a ocupação japonesa (1910-1945).

O chefe da diplomacia do Japão, Fumio Kishida, anunciou que Tóquio se compromete a canalizar 1.000 milhões de ienes (cerca de 7,6 milhões de euros) para um fundo de compensação às "mulheres de conforto".

Em conferência de imprensa conjunta com o seu homólogo sul-coreano, Yun Byung-se, o ministro nipónico expressou as "profundas desculpas" do Governo japonês pelo dano causado às mulheres coreanas.

"O assunto das mulheres de conforto (...) ocorreu com o envolvimento do exército japonês (...) e o Governo japonês sente profundamente a sua responsabilidade", afirmou o ministro.

Estima-se que cerca de 200.000 mulheres -- chamadas 'mulheres de conforto' -- tenham sido forçadas a prestar serviços sexuais a membros das tropas nipónicas, a maioria delas na China e na península coreana, entre os anos 30 do século passado e o final da II Guerra Mundial, em 1945.

  • Prisão preventiva para homicida de Barcelos
    1:43

    País

    O alegado homicida de Barcelos vai ficar em prisão preventiva, por quatro crimes de homicídio. Adelino Briote foi ouvido este sábado de manhã no Tribunal de Braga, depois de na sexta-feira ter alegadamente degolado quatro pessoas na freguesia de Tamel, em Barcelos.

  • Homem suspeito de matar a mulher em Esmoriz

    País

    Um homem é suspeito de ter esfaqueado este sábado mortalmente a mulher em Esmoriz, concelho de Ovar, num contexto de violência doméstica, disse à agência Lusa fonte da Guarda Nacional Republicana (GNR).

  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.