sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos um morto e quatro feridos em atentado perto de aeroporto afegão

Um atentado suicida, com um carro armadilhado, que aparentemente teria como alvo soldados da NATO, ocorreu este domingo perto do aeroporto de Cabul, matando pelo menos um civil e ferindo outros quatro, informaram as autoridades afegãs.

O ataque, cuja autoria foi reivindicada pelos talibãs na mesma rede social, tinha como alvo "uma caravana de tropas estrangeiras".

O ataque, cuja autoria foi reivindicada pelos talibãs na mesma rede social, tinha como alvo "uma caravana de tropas estrangeiras".

© Omar Sobhani / Reuters

"Um civil morreu e quatro outros ficaram feridos na explosão de um carro armadilhado", nas proximidades do aeroporto, declarou Sediq Sediqqi, porta-voz do Ministério do Interior do Afeganistão, através do Twitter.

O ataque, cuja autoria foi reivindicada pelos talibãs na mesma rede social, tinha como alvo "uma caravana de tropas estrangeiras", detalhou Najib Danish, do mesmo ministério.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Football Leaks

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Football Leaks

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.