sicnot

Perfil

Mundo

Ataque no Paquistão fez pelo menos 21 mortos e 63 feridos

Pelo menos 21 pessoas morreram e 63 ficaram feridas no atentado cometido esta terça-feira contra uma dependência da administração pública em Mardan, no noroeste do Paquistão, segundo fontes policiais e médicas citadas por agências internacionais.

O ataque foi perpetrado por um bombista suicida que conduziu a motorizada carregada de explosivos contra as instalações da Autoridade Nacional de Bases de Dados e Registo.

O ataque foi perpetrado por um bombista suicida que conduziu a motorizada carregada de explosivos contra as instalações da Autoridade Nacional de Bases de Dados e Registo.

© Khuram Parvez / Reuters

O ataque foi perpetrado por um bombista suicida que conduziu a motorizada carregada de explosivos contra as instalações da Autoridade Nacional de Bases de Dados e Registo, responsável pela emissão dos cartões de identificação, precisou um porta-voz da polícia local, Faisal Shahzad.

Segundo um porta-voz da polícia provincial, Fazal Khan, "um grande número de pessoas estava no local no momento da explosão".

O ataque foi reivindicado pelos talibãs do Paquistão, Tehreek-e-Taliban, numa mensagem de correio eletrónico enviada para a agência France Presse.

O Paquistão enfrenta há uma década uma insurgência de grupos radicais, sobretudo nas zonas ocidentais do país, junto à fronteira com o Afeganistão.

Mais de 27.000 civis e militares foram mortos em atentados, mas em 2015 o número de vítimas foi o mais baixo da década, o que é atribuído a uma série de operações militares contra os talibãs e grupos aliados.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".