sicnot

Perfil

Mundo

Kerry destaca relações com Cuba, cimeira do clima e acordo com Irão como conquistas de 2015

O secretário de Estado norte-americano destacou, esta segunda-feira, os avanços na normalização das relações com Cuba, o acordo com o Irão e a cimeira do clima como as maiores conquistas dos EUA no plano externo em 2015.

reuters

Numa coluna de opinião publicada no diário The Boston Globe, John Kerry decidiu manter a tradição de fazer uma avaliação geral ao chegar ao final do ano e elencou as maiores conquistas de 2015, um ano que serviu para o país se preparar para "os testes" que aguardam os Estados Unidos no próximo ano.

"Apesar das perturbações e tragédias, o ano proporcionou uma nova esperança à comunidade internacional, que pôde unir-se e enfrentar os problemas mais difíceis", afirmou Kerry, que viveu boa parte da sua vida em Boston e que durante 28 anos foi senador pelo estado de Massachusetts.

Um dos acontecimentos mais significativos do ano foi, segundo Kerry, o içar da bandeira na embaixada dos Estados Unidos em Havana (Cuba), inaugurada pelo próprio chefe da diplomacia norte-americana a 14 de agosto, um dia histórico que abriu um novo capítulo na relação entre os dois países, antigos inimigos.

A visita de Kerry a Cuba foi a primeira realizada por um secretário de Estado à ilha em 70 anos.

"Enquanto caminhava pelas ruas de Havana Velha senti, de uma forma mais forte, que nunca devíamos permitir que as nossas diferenças com o regime cubano continuem a impedir uma relação mais estreita com o povo cubano", escreveu Kerry na coluna de opinião.

Outro dos "feitos" destacados por Kerry foi a cimeira do clima (COP21), em Paris, que fechou no início deste mês, com um acordo em que cerca de 200 países se comprometem a reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, incluindo manter o aumento da temperatura média global, em que foi fundamental o papel dos Estados Unidos e da China, dois dos países mais poluidores.

"Agora temos uma responsabilidade partilhada para manter o impulso gerado em Paris e para que os objetivos alcançados ali não se convertam num limite do que podemos alcançar, mas antes na plataforma sobre a qual podemos conseguir maiores conquistas", apontou o chefe da diplomacia norte-americana.

Outra das conquistas elencadas por Kerry foi o acordo nuclear alcançado em julho entre o Irão e as potências do grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha), que contempla o fim das sanções contra o país persa em troca da limitação das suas reservas de urânio e plutónio e acesso à vigilância.

Destacado é também o Acordo de Associação Transpacífico (TPP), um acordo de comércio firmado em outubro entre 12 países da bacia do Pacífico e que, segundo Kerry, "reduzirá as barreiras às exportações e ajudará a nivelar o jogo entre trabalhadores e empresários".

O ano de 2015 "também foi marcado por importantes avanços democráticos em países como a Nigéria, Birmânia, Sri Lanka e Venezuela".

E, "com a ajuda dos Estados Unidos, a Colômbia aproxima-se de pôr fim à mais longa guerra civil do mundo", acrescentou.

O Governo colombiano mantém há 13 anos em Havana um processo de negociações com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) para alcançar um acordo que acabe com o conflito armado, que dura há mais de meio século e é o mais antigo do continente.

As partes acordaram que, mais tardar, a 23 de março do próximo ano, devem firmar um acordo definitivo de paz.

Os Estados Unidos reforçaram este ano o seu apoio às conversações entre Bogotá e as FARC com a nomeação, em março, de Bernie Aronson como enviado especial para o processo de paz.

Aronson não se senta à mesa das conversações que decorrem na capital cubana, já que os Estados Unidos continuam sem fazer parte do processo, mas mantém reuniões com ambas as partes em apoio à agenda do Governo colombiano

  • Costa preparado para falar da renegociação da dívida no plano europeu
    2:24

    Economia

    O primeiro-ministro não quer quebrar com as regras impostas pela UE e não vai dar o primeiro passo na renegociação da dívida, mas estará na linha da frente quando Bruxelas ceder. Em entrevista à RTP, António Costa garante que o Governo cumpriu tudo aquilo que acordou com o presidente demissionário da Caixa Geral de Depósitos, António Domingues.

  • Benfica persegue oitavos da Liga dos Campeões

    Desporto

    O Benfica tenta hoje a qualificar-se para os oitavos de final da Liga dos Campeões de futebol, procurando uma vitória na receção ao Nápoles que lhe permita vencer o Grupo H e manter-se a salvo do perseguidor Besiktas.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.

  • Nova Deli é "altamente tóxica" para os cidadãos

    Mundo

    Nova Deli foi considerada altamente tóxica para os cidadãos. A capital da Índia é considerada há mais de três anos a cidade mais poluída do mundo, mas só este ano se concluiu que é tão tóxica que é capaz de provocar doenças crónicas a quem lá vive.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.