sicnot

Perfil

Mundo

Nova Iorque reforça segurança nos festejos de fim do ano

As medidas de segurança para as celebrações de passagem de ano em Nova Iorque, incluindo na grande concentração em Times Square, são "mais fortes do que nunca", afirmou hoje o presidente da câmara daquela cidade norte-americana.

© Stephanie Keith / Reuters

"Quero que todo o mundo compreenda e saiba que a polícia de Nova Iorque está pronta, que as medidas tomadas para o ano novo são mais fortes do que nunca", declarou Bill de Blasio, durante uma entrevista à rádio local WOR 710.

A cidade pode contar com a colaboração de uma nova unidade de luta contra o terrorismo, designada como Critical Response Command, que foi composta em meados de novembro e integra 500 agentes especializados na luta antiterrorista.

"O planeamento é extraordinário", disse Bill de Blasio, que presidiu, na segunda-feira, a uma reunião preparatória com representantes da polícia de Nova Iorque e de outras forças de segurança da cidade, incluindo a unidade local da polícia federal (FBI).

Nova Iorque "é a cidade melhor preparada do país para travar o terrorismo", reforçou o autarca, sublinhando que "o público pode ter a certeza que estará bem protegido no ano novo".

Após os atentados de 13 de novembro em Paris, que fizeram 130 mortos, um vídeo divulgado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI) mostrou imagens de Nova Iorque, incluindo da zona de Times Square, o epicentro das celebrações de fim do ano.

As autoridades nova-iorquinas reagiram e responderam que não existia qualquer "ameaça credível" contra a cidade.

Lusa

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.