sicnot

Perfil

Mundo

Taxistas de São Paulo protestam contra consulta pública sobre a Uber

Os taxistas de São Paulo, a maior cidade do Brasil, protestaram hoje contra a proposta da autarquia para realizar uma consulta pública sobre o modelo de transporte individual, que inclui a regulamentação da aplicação Uber.

(arquivo)

(arquivo)

MARIO CRUZ; M\303\201RIO CRUZ

Dezenas de taxistas bloquearam o acesso à sede administrativa do Governo municipal de São Paulo, quando aquele anunciava em conferência de imprensa a consulta pública para debater o serviço.

Vários taxistas chegaram a agredir jornalistas e lançaram bombas de fumo para evitar a ação policial que, por fim, conseguiu desbloquear uma das mais centrais avenidas de São Paulo.

O Governo municipal iniciou hoje uma consulta pública pela Internet para a população dar sugestões sobre a regulamentação do modelo de transporte individual.

Em outubro, a autarquia já tinha regulamentado o funcionamento de uma nova categoria de táxis onde se podem inscrever condutores da Uber, mediante o pagamento de uma licença, apesar do funcionamento da aplicação ser considerada ilegal na cidade.

O projeto que foi hoje para consulta pública pretende que as aplicações como a Uber integrem o modelo de Operadoras de Transporte Acreditadas, com um limite de quilómetros para operar e com preços regulados pela administração municipal.

Lusa

  • Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já têm cadastro
    1:59

    Crise no Sporting

    Sete dos 23 arguidos do caso da Academia de Alcochete já foram condenados por 22 crimes que cometeram no passado, mas nunca nenhum deles cumpriu pena de prisão ou prisão domiciliária. O juiz decretou a prisão preventiva na sequência das agressões à equipa do Sporting por entender que se tratou de um comportamento chocante, terrorista e a perversão do espírito desportivo.

  • Está a pensar ir à praia? Não se esqueça do guarda-chuva
    0:43
  • MP investiga ministro Siza Vieira, António Costa rejeita incompatibilidades
    2:12

    País

    O Ministério Público decidiu investigar o ministro Adjunto, Pedro Siza Vieira, por alegadas incompatibilidades. O governante criou uma empresa imobiliária um dia antes de tomar posse e manteve-se como gerente durante dois meses. A lei prevê a demissão, mas o primeiro-ministro já disse que se tratou apenas de um erro e o próprio ministro alega desconhecimento da lei.

  • Parceiros sociais retomam hoje discussão sobre legislação laboral

    Economia

    Os parceiros sociais retomam esta tarde a discussão sobre as alterações à legislação laboral nas áreas do combate à precariedade, promoção da negociação coletiva e reforço da inspeção do trabalho. No encontro, marcado para as 15:00 no Conselho Económico e Social (CES), em Lisboa, o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, deverá apresentar um novo documento com alterações face ao que foi proposto aos parceiros sociais há dois meses.

  • EUA expulsa dois diplomatas venezuelanos e dá-lhes 48 horas para deixarem o país

    Mundo

    Os Estados Unidos anunciaram, na quarta-feira, a expulsão de dois diplomatas venezuelanos, aos quais deu um prazo de 48 horas para sairem do país. A decisão é a resposta ao anúncio de Presidente da Venezuela de expulsar o encarregado de negócios e o chefe da secção política da embaixada dos Estados Unidos em Caracas, Todd Robinson e Brian Naranjo, respetivamente.