sicnot

Perfil

Mundo

Ativado "telefone vermelho" entre a China e Taiwan

O "telefone vermelho" entre a República Popular da China e Taiwan, territórios que desde 1949 mantêm um conflito de soberania, entrou hoje em funcionamento, numa medida que visa fortalecer os laços entre Pequim e Taipé.

reuters

A instalação daquela linha direta de diálogo sucede a um histórico encontro entre o Presidente chinês, Xi Jinping, e o seu homólogo taiwanês, Ma Ying-jeou, em novembro passado, apesar de ambos rejeitarem a legitimidade um do outro.

Andrew Hsia, chefe do Gabinete de Taiwan para os Assuntos do Continente Chinês, falou hoje com Zhang Zhijun, o responsável pelos Assuntos de Taiwan no Conselho de Estado e no Comitê Central do Partido Comunista da China (PCC).

"Hsia disse por telefone que a ligação direta é um importante resultado do encontro entre os líderes dos dois lados. Ele espera que os dois lados possam comunicar regularmente em assuntos urgentes", lê-se num comunicado emitido pelo gabinete de Hsia.

A mesma nota aponta que este mecanismo constitui "outro importante passo" nos intercâmbios entre a China e Taiwan.

Ma Xiaoguang, o porta-voz do Gabinete para os Assuntos de Taiwan na China confirmou a realização daquela chamada, de acordo com a agência oficial Xinhua.

"Esperamos que as autoridades se esforcem na manutenção e promoção do desenvolvimento pacífico das relações entre os dois lados do estreito", afirmou Ma, citado pela agência.

As relações entre a China e Taiwan ganharam novo ímpeto com a chegada ao poder do Kuomintang, partido pró-Pequim, liderado por Ma, e são hoje consideradas as melhores de sempre

A aproximação é, contudo, vista com desconfiança pela opinião pública taiwanesa, que vê os acordos comerciais entre Taipei e Pequim como prejudiciais para a população da ilha.

Nas sondagens para as eleições legislativas, previstas para o próximo mês, o Partido Democrático Progressista, mais cético em relação a Pequim, aparece como favorito a ganhar o exercício.

Depois da guerra civil chinesa ter acabado, com a vitória do PCC, o antigo governo nacionalista (Kuomintang) refugiou-se na ilha de Taiwan, onde continua a identificar-se como governante de toda a China.

Pequim considera Taiwan uma província chinesa e defende a "reunificação pacífica", segundo a mesma fórmula adotada para Hong Kong e Macau ("Um país, dois sistemas"). Porém, ameaça "usar a força" se a ilha declarar independência.

O 'telefone vermelho' enquanto meio de comunicação direta entre países em conflito celebrizou-se quando foi instalado em 20 de junho de 1963 na Casa Branca e no Kremlin, para evitar uma guerra nuclear entre as duas maiores potências mundiais.

  • O perfil do homicida de Barcelos
    2:42

    País

    Adelino Gomes Briote já tinha sido condenado por ofensas à integridade física da sogra e de uma filha. Em seis meses esta foi a segunda vez que o homem acusado do quádruplo homicídio em Barcelos esteve perante a justiça.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.

  • Milhares nas cerimónias fúnebres de dirigente do Hamas

    Mundo

    Milhares de palestinianos participaram nas cerimónias fúnebres de um dirigente do Hamas, assassinado esta sexta-feira, na Faixa de Gaza. Vários homens armados acompanharam o cortejo fúnebre até à mesquita, onde se fizeram as últimas orações.

  • Guerra na Síria não dá tréguas
    1:51

    Mundo

    Na Síria e ao mesmo tempo que decorrem novas negociações de paz, a guerra não dá tréguas. As imagens mostram o resultados dos últimos raides aéreos nos subúrbios de Damasco. O balanço provisório é de mais de 30 mortos e pelo menos 50 feridos.