sicnot

Perfil

Mundo

Festividades de ano novo em Bruxelas foram anuladas

O fogo de artifício e as celebrações do ano novo nas ruas do centro de Bruxelas foram anuladas, embora o nível de ameaça continue em 3, numa escala de quatro, foi hoje anunciado.

© Francois Lenoir / Reuters

Depois de várias operações policiais nos últimos dias, que resultaram em duas detenções por suspeita de planeamento de ataques na capital belga e uma outra relacionada com os atentados de Paris, o presidente da comuna de Bruxelas, Yvan Mayeur, decidiu cancelar os festejos.

A imprensa local relata a dificuldade na tomada desta decisão, uma vez que pelo menos 50 mil pessoas eram esperadas para a comemoração do ano novo, pelo que haverá consequências económicas nomeadamente no setor da restauração. Mas também terá pesado a responsabilidade pública de expor turistas ao risco de atentados.

O autarca recebeu o relatório da autoridade de análise de ameaças (OCAM, nas siglas em francês) ao início desta noite, e após o parecer do Centro de Crise.

Yvan Mayeur também esteve em contacto com o ministro do Interior, Jan Jambon, antes de tomar a decisão final.

Lusa

  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Raphäel Guerreiro vai continuar a acompanhar a seleção
    1:08
  • 74 mil alunos do secundário têm a vida "suspensa" 
    2:22

    País

    Enquanto o Ministério Público investiga a fuga de informação no exame nacional de Português do 12.º ano, 74 mil estudantes ficam com a vida suspensa. Se a fuga se confirmar, o exame corre o risco de ser anulado e as candidaturas ao ensino superior atrasam. O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE), responsável pelos exames, prometeu esclarecimentos para os próximos dias.