sicnot

Perfil

Mundo

Moscovo exige detenção de turco suspeito da morte de piloto russo

A Rússia exigiu hoje às autoridades de Ancara que detenham um cidadão turco suspeito de ter matado um dos pilotos do caça-bombardeiro russo abatido pela aviação turca sobre a fronteira síria em novembro último.

Sukhoi Su-24

Sukhoi Su-24

© Shamil Zhumatov / Reuters

"Exigimos medidas imediatas por parte das autoridades turcas para a detenção de Alparslan Çelik e dos seus cúmplices, e para a sua apresentação à justiça pelo assassínio do piloto russo", disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, citada num comunicado.

Numa entrevista ao jornal turco Hurriyet, publicada no domingo, Alparslan Çelik, um cidadão turco que combate ao lado dos rebeldes turquemenos na Síria, afirmou que a sua consciência "não podia ser perturbada por alguém que lança bombas sobre civis turquemenos todos os dias", numa referência ao piloto russo.

Em novembro, as autoridades de Ancara acusaram Moscovo de ter bombardeado "aldeias de civis turquemenos", uma minoria de língua turca que vive na Síria.

"A vingança é o direito mais natural", declarou Çelik, na mesma entrevista.

"Ele confessou o seu envolvimento direto na morte do piloto russo", frisou a porta-voz da diplomacia russa, acrescentando que Alparslan Çelik não manifestou qualquer arrependimento pelas suas ações.

Maria Zakharova sublinhou ainda "a surpresa e a indignação" de Moscovo ao ver que "um dos principais jornais turcos fornece uma plataforma onde assassinos e terroristas vangloriam-se de crimes e propagam o ódio contra a Rússia e o povo russo, através de uma ideologia nacionalista".

A 24 de novembro, caças F-16 turcos abateram um Soukhoi-24 que sobrevoava a fronteira entre a Turquia e a Síria. Ancara afirma que o avião violou o seu espaço aéreo, o que é negado por Moscovo.

Um dos dois pilotos do bombardeiro russo foi morto a tiro quando descia de paraquedas.

O outro piloto russo foi resgatado numa operação conjunta das forças especiais russas e sírias, durante a qual morreu um soldado russo.

O incidente, descrito como "uma facada nas costas" pelo Presidente russo Vladimir Putin, causou uma grave crise diplomática entre a Rússia e a Turquia.

Em retaliação, Moscovo adotou um conjunto de sanções contra Ancara.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.