sicnot

Perfil

Mundo

Moscovo exige detenção de turco suspeito da morte de piloto russo

A Rússia exigiu hoje às autoridades de Ancara que detenham um cidadão turco suspeito de ter matado um dos pilotos do caça-bombardeiro russo abatido pela aviação turca sobre a fronteira síria em novembro último.

Sukhoi Su-24

Sukhoi Su-24

© Shamil Zhumatov / Reuters

"Exigimos medidas imediatas por parte das autoridades turcas para a detenção de Alparslan Çelik e dos seus cúmplices, e para a sua apresentação à justiça pelo assassínio do piloto russo", disse a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakharova, citada num comunicado.

Numa entrevista ao jornal turco Hurriyet, publicada no domingo, Alparslan Çelik, um cidadão turco que combate ao lado dos rebeldes turquemenos na Síria, afirmou que a sua consciência "não podia ser perturbada por alguém que lança bombas sobre civis turquemenos todos os dias", numa referência ao piloto russo.

Em novembro, as autoridades de Ancara acusaram Moscovo de ter bombardeado "aldeias de civis turquemenos", uma minoria de língua turca que vive na Síria.

"A vingança é o direito mais natural", declarou Çelik, na mesma entrevista.

"Ele confessou o seu envolvimento direto na morte do piloto russo", frisou a porta-voz da diplomacia russa, acrescentando que Alparslan Çelik não manifestou qualquer arrependimento pelas suas ações.

Maria Zakharova sublinhou ainda "a surpresa e a indignação" de Moscovo ao ver que "um dos principais jornais turcos fornece uma plataforma onde assassinos e terroristas vangloriam-se de crimes e propagam o ódio contra a Rússia e o povo russo, através de uma ideologia nacionalista".

A 24 de novembro, caças F-16 turcos abateram um Soukhoi-24 que sobrevoava a fronteira entre a Turquia e a Síria. Ancara afirma que o avião violou o seu espaço aéreo, o que é negado por Moscovo.

Um dos dois pilotos do bombardeiro russo foi morto a tiro quando descia de paraquedas.

O outro piloto russo foi resgatado numa operação conjunta das forças especiais russas e sírias, durante a qual morreu um soldado russo.

O incidente, descrito como "uma facada nas costas" pelo Presidente russo Vladimir Putin, causou uma grave crise diplomática entre a Rússia e a Turquia.

Em retaliação, Moscovo adotou um conjunto de sanções contra Ancara.

Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.