sicnot

Perfil

Mundo

Supremo da Venezuela confirma pedido de impugnação contra oito deputados da oposição

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) da Venezuela confirmou, na terça-feira, ter recebido pedidos de impugnação e de aplicação de medidas de "suspensão de efeitos" contra oito deputados da oposição, eleitos nas parlamentares de 6 de dezembro.

O Presidente venezuelano, Nicolas Maduro.

O Presidente venezuelano, Nicolas Maduro.

© Carlos Garcia Rawlins / Reuters

A oposição já reagiu, acusando o Governo venezuelano de um "golpe judicial" que pode pôr em risco a maioria parlamentar de dois terços conquistada pela aliança opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD).

A confirmação dos pedidos de impugnação, que foi publicada no portal da Sala Eleitoral, uma das seis que compõem o STJ, envolve deputados dos estados venezuelanos de Amazonas (um), Yaracuy (dois) e Arágua (três deputados e dois representantes indígenas), os quais foram eleitos com diferenças entre 82 e 28 mil votos relativamente aos socialistas.

"É a continuidade do golpe judicial que denunciamos a 22 de dezembro", disse aos jornalistas o secretário executivo da MUD, Jesus Torrealba que recordou que a oposição tinha dito, há dias, que o Partido Socialista Unido da Venezuela, tinha tentado impugnar a designação de 22 dos 112 deputados opositores.

A oposição insiste que, apesar das ameaças "para tentar ganhar em tribunal o que não ganharam com votos", tem a certeza de que "terminou a hegemonia" socialista.

A MUD obteve, nas eleições de 06 de dezembro, a primeira vitória em 16 anos, conseguindo 112 dos 167 lugares que compõem o parlamento, uma maioria de dois terços que lhe confere amplos poderes e marca uma viragem história contra o chavismo.

Segundo o Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, estão ser investigados mais de 1,5 milhões de votos nulos, porque em alguns setores onde tradicionalmente o 'chavismo' era vencedor os seus candidatos perderam por menos de uma centena de votos e registaram-se mais de mil votos nulos.

Lusa

  • 10 Minutos com Ana Catarina Mendes
    10:28

    10 Minutos

    A secretária geral adjunta do PS diz que não percebe porque é que o PSD levou tanto tempo a escolher o candidato à Câmara de Lisboa. Em entrevista no 10 Minutos da SIC Noticias, Ana Catarina Mendes considerou ainda que Pedro Passos Coelho não tem estado à altura de um líder da oposição. Quanto às legislativas, entende que o PS deve concorrer sozinho às eleições.

    Entrevista na íntegra

  • Prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar o Daesh

    País

    O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs esta quinta-feira prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Daesh e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

  • "A isto chama-se pura hipocrisia"
    1:13

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho classifica a atuação do Governo na gestão da Caixa Geral de Depósitos como um "manual de cinismo político insuportável", declarações feitas pelo líder do PSD durante a reunião do Conselho Nacional em Lisboa.