sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 55 mil pessoas morreram em 2015 na Síria

Mais de 55 mil pessoas morreram na Síria, em 2015, das quais mais de 2.500 crianças, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos sobre um país que há cinco anos é palco de um conflito sangrento.

© Bassam Khabieh / Reuters

A organização não-governamental sediada na Grã-Bretanha avançou que desde o início do conflito, em março de 2011, mais de 260 mil pessoas morreram.

Só no ano que hoje termina, 55.219 pessoas morreram, das quais 13.249 civis, enquanto 2.574 eram crianças.

Ainda assim, um número inferior ao registado no ano passado, quando a violência provocou 76.021 mortos.

A maioria dos mortos são combatentes, dos quais 7.798 rebeldes e mais de 16.000 do grupo jihadista e auto proclamado Estado Islâmico, da Frente al-Nusra, o braço sírio da Al-Qaida, ou de milícias organizadas contra o presidente Bachar al-Assad.

Ao todo, 17.686 pessoas caíram nas fileiras do regime, entre 8.800 soldados do exército, mais de 7.000 membros de milícias pro-Assad e 378 homens do movimento xiita libanês Hezbollah.

O balanço avança que 1.214 combatentes estrangeiros morreram igualmente.

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Governo garante reforço das verbas para defesa da floresta até ao fim do ano
    2:37

    País

    O Governo rejeitou centenas de candidaturas com projetos para a prevenção de incêndios florestais, por falta de verbas. Perante a situação, o Bloco de Esquerda questionou o Ministério da Agricultura sobre as reprovações. Contudo, contactado pela SIC, o ministro Capoulas Santos garantiu que o programa de desenvolvimento rural está a ser reajustado e, até ao final do ano, está previsto o reforço de verbas.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.