sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 55 mil pessoas morreram em 2015 na Síria

Mais de 55 mil pessoas morreram na Síria, em 2015, das quais mais de 2.500 crianças, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos sobre um país que há cinco anos é palco de um conflito sangrento.

© Bassam Khabieh / Reuters

A organização não-governamental sediada na Grã-Bretanha avançou que desde o início do conflito, em março de 2011, mais de 260 mil pessoas morreram.

Só no ano que hoje termina, 55.219 pessoas morreram, das quais 13.249 civis, enquanto 2.574 eram crianças.

Ainda assim, um número inferior ao registado no ano passado, quando a violência provocou 76.021 mortos.

A maioria dos mortos são combatentes, dos quais 7.798 rebeldes e mais de 16.000 do grupo jihadista e auto proclamado Estado Islâmico, da Frente al-Nusra, o braço sírio da Al-Qaida, ou de milícias organizadas contra o presidente Bachar al-Assad.

Ao todo, 17.686 pessoas caíram nas fileiras do regime, entre 8.800 soldados do exército, mais de 7.000 membros de milícias pro-Assad e 378 homens do movimento xiita libanês Hezbollah.

O balanço avança que 1.214 combatentes estrangeiros morreram igualmente.

Lusa

  • Turistas chegam a esperar 2 horas no controlo de passaporte do Aeroporto de Lisboa
    2:35

    País

    Chegar ao Aeroporto de Lisboa pode ser uma dor de cabeça para centenas de passageiros. A espera para o controlo de passaporte chegou a ultrapassar as duas horas nos meses de fevereiro e março. Manuela Niza, do Sindicato dos Funcionários do Serviços de Estrangeiros e Fronteiras, diz que têm sido contratados inspetores que depois são desviados para outros serviços.

  • Hasta pública de madeira ardida rendeu 2,85 milhões de euros

    País

    Mais de meia centena de lotes de madeira ardida proveniente de matas nacionais e perímetros florestais geridos pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) foram esta quinta-feira vendidos por 2,85 milhões de euros, numa hasta pública em Viseu.

  • "Dinheiro gasto em contentores dava para construir outro hospital" no Porto
    1:40

    País

    A bastonária dos Enfermeiros pede uma investigação aos contratos de contentores no Hospital de São João, no Porto. Ana Rita Cavaco diz que os "milhares de euros" já gastos na contratação e manutenção dos contentores da Pediatria e outros serviços do centro Hospitalar de São João davam para construir um novo hospital. E levanta ainda a suspeita sobre a empresa contratada.