sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 55 mil pessoas morreram em 2015 na Síria

Mais de 55 mil pessoas morreram na Síria, em 2015, das quais mais de 2.500 crianças, anunciou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos sobre um país que há cinco anos é palco de um conflito sangrento.

© Bassam Khabieh / Reuters

A organização não-governamental sediada na Grã-Bretanha avançou que desde o início do conflito, em março de 2011, mais de 260 mil pessoas morreram.

Só no ano que hoje termina, 55.219 pessoas morreram, das quais 13.249 civis, enquanto 2.574 eram crianças.

Ainda assim, um número inferior ao registado no ano passado, quando a violência provocou 76.021 mortos.

A maioria dos mortos são combatentes, dos quais 7.798 rebeldes e mais de 16.000 do grupo jihadista e auto proclamado Estado Islâmico, da Frente al-Nusra, o braço sírio da Al-Qaida, ou de milícias organizadas contra o presidente Bachar al-Assad.

Ao todo, 17.686 pessoas caíram nas fileiras do regime, entre 8.800 soldados do exército, mais de 7.000 membros de milícias pro-Assad e 378 homens do movimento xiita libanês Hezbollah.

O balanço avança que 1.214 combatentes estrangeiros morreram igualmente.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.