sicnot

Perfil

Mundo

Exército chinês cria novas unidades dedicadas ao espaço e à Internet

O Exército de Libertação Popular criou duas novas unidades dedicadas à tecnologia, incluindo operações no espaço e na Internet, como parte do processo de modernização das Forças Armadas com mais efetivos do mundo, informa hoje a imprensa local.

Ng Han Guan

O Presidente chinês, Xi Jinping, presidiu na quinta-feira -- o mesmo dia em que a China confirmou estar a desenvolver o seu primeiro porta-aviões de fabrico próprio -- à cerimónia de criação dos dois novos 'braços' do exército, chamados Força Balística e Força de Apoio Estratégico.

A Força Balística, fundada a partir da Segunda Artilharia, que estava encarregada do desenvolvimento de mísseis, herdará essa função mas também a de inovar no terreno dos 'rockets' espaciais.

A chamada Força de Apoio Estratégico, por seu lado, vai ocupar-se da "guerra tecnológica", tanto no espaço como na Internet, afirmaram fontes próximas do Exército de Libertação Popular, citadas hoje pelo jornal South China Morning Post.

Xi sublinhou, na cerimónia, que esta mudança é um "passo estratégico" no plano de modernização da instituição, que também prevê a redução do número de efetivos de 2,3 para dois milhões.

Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15