sicnot

Perfil

Mundo

Polícia colombiana apreende mais de uma tonelada de cocaína no Pacífico

As autoridades colombianas anunciaram hoje que apreenderam 1.122 quilogramas de cocaína pertencentes às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e detiveram 12 pessoas de diferentes nacionalidades numa operação realizada entre a costa de El Salvador e da Guatemala.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Enrique Castro-Mendivil / Reuters

Num comunicado, a Polícia da Colômbia adianta que a operação realizou-se em coordenação com a Polícia Nacional de El Salvador.

"O intercâmbio eficaz de informações estabelecido com a divisão de narcóticos de El Salvador e da Guatemala permitiu a localização nas costas limítrofes desses países de quatro lanchas tipo 'go fast' que transportavam no seu interior 1.122 quilogramas de cocaína", refere a polícia colombiana, acrescentando que, dos 12 detidos, nove são da Guatemala, dois são colombianos e o outro é do Equador.

A polícia indica também que os barcos rápidos partiram de uma zona próxima da fronteira com o Equador e tinham como alvo a América Central.

Em 2015, a polícia colombiana apreendeu 51,3 toneladas de cocaína, desarticulou 64 organizações criminosas ao serviço do narcotráfico e deteve 361 pessoas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.