sicnot

Perfil

Mundo

Toque de recolher decretado no Iémen após combates que fizeram 22 mortos

Um toque de recolher nocturno entrou hoje em vigor em Aden, no Iémen, após lutas com grupos armados, presumivelmente "jihadistas", terem causado pelo menos 22 mortos, segundo a agência pró-governo sabanews.net e fontes de segurança.

Na madrugada de hoje, um imã sufi, Sheikh Ali Othman, considerado um moderado, foi morto a tiro em Aden, a segunda maior cidade do Iémen, num assassinato que agentes de segurança da cidade atribuem ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

O toque de recolher vigora entre as 20:00 e as 05:00 locais (das 17:00 às 02:00 GMT), segundo uma decisão da comissão de segurança da província de Aden, no sul do país.

O anúncio do toque de recolher surge após violentos confrontos num dos portos de Aden, al-Moualla, terem causado 22 mortos, entre os quais se contam 10 membros das forças de segurança.

Um porta-voz das autoridades provinciais, citado pela sabanews.net, declarou que "homens armados" cercaram o porto, enquanto fontes da segurança disseram à Agência France-Presse (AFP) que os confrontos começaram quando forças leais ao presidente do Iémen, Abd Rabbo Mansour Hadi, tentaram garantir a segurança do porto, confrontando-se com homens armados que já estavam no local.

Ainda de acordo com estas fontes, a luta durou várias horas, tendo as forças pró-Hadi conseguido assumir o controlo do porto.

Por seu lado, testemunhas locais revelaram que, no domingo, Aden conheceu uma implantação sem precedentes de homens armados, sem que os habitantes soubessem a que grupos pertenciam.

Segundo a agência governamental, o presidente Hadi visitou hoje uma parte da cidade e o porto de Aden.

Desde março que se verifica um aumento da violência no Iémen, com combates entre as forças leais ao presidente Hadi, apoiadas por uma coligação árabe liderada pela Arábia Saudita, e rebeldes xiitas pró-iranianos, os houthis, que no final de 2014 tomaram a capital do país, Sana, e outras regiões.

Grupos "jihadistas", incluindo a Al-Qaeda e o Daesh, aproveitaram o caos dos últimos meses para fortalecer as suas posições, especialmente no sul do território.

Aden e quatro províncias do sul foram recuperadas no verão passado por forças pró-governo, mas várias áreas da cidade de Aden estão ocupadas por grupos "jihadistas", que, nas últimas semanas, têm cometido uma série de ataques mortais contra funcionários do governo e fechado várias faculdades para evitar a mistura de homens e mulheres entre os estudantes.

Desde março passado, a guerra no Iémen já causou cerca de 6.000 mortos, 28.000 feridos e 2,5 milhões de deslocados.

Com Lusa

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.