sicnot

Perfil

Mundo

EUA e Coreia do Sul condenam teste nuclear de Pyongyang

Os Estados Unidos e a Coreia do Sul condenaram hoje o teste de bomba de hidrogénio alegadamente realizado pela Coreia do Norte, prometendo uma resposta adequada ao que consideram una "provocação" do regime de Kim Jing-un.

Lee Jin-man

"Apesar de ainda não podermos confirmar estas reivindicações, condenamos qualquer violação às resoluções do UNSC [Conselho de Segurança das Nações Unidas] e voltamos a pedir à Coreia do Norte para que cumpra as suas obrigações e compromissos internacionais", disse o porta-voz do Conselho Nacional de Segurança da Casa Branca Ned Price.

Os Estados Unidos, afirmou, vão "responder adequadamente a qualquer provocação norte-coreana".

De igual modo, a Coreia do Sul prometeu tomar "todas as medidas necessárias" para penalizar o país vizinho.

"Condenamos veementemente o quarto teste nuclear da Coreia do Norte, uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, apesar dos nossos repetidos avisos e da comunidade internacional", afirmou um comunicado do Governo, lido na televisão pelo vice-presidente do Conselho Nacional de Segurança.

A Presidente sul-coreana, Park Geun-Hye, convocou uma reunião de emergência do conselho assim que o teste foi anunciado.

"Vamos tomar todas as medidas necessárias, incluindo sanções adicionais pelo Conselho de Segurança da ONU (...), para que a Coreia do Norte pague o preço do seu teste nuclear", indica o comunicado.

A Human Rights Watch também já reagiu, considerando que a prenda mais adequada para Kim Jong-un, que se acredita celebrar o seu aniversário, no dia 08, seria uma visita ao tribunal internacional de Haia.

"Kim Jong-un pode achar apropriado celebrar o seu aniversário com um teste nuclear, mas nem uma bomba de hidrogénio é suficiente para fazer esquecer que a ditadura hereditária da família Kim está assente na sistemática brutalização e abuso do povo norte-coreano", afirmou em comunicado Phil Robertson, vice-diretor para a Ásia da Human Rights Watch.

"O único presente de aniversário que Kim Jong-un devia receber da comunidade internacional é um bilhete só de ida para o Tribunal Criminal Internacional de Haia, onde devia ser julgado por crimes contra a humanidade", indica a organização de defesa dos direitos humanos.

No Japão, a polícia intensificou o dispositivo de segurança na associação "Chongryon", de residentes coreanos, ligada ao regime de Kim Jong-un, localizada no centro de Tóquio.

A "Chongryon" é uma associação de coreanos 'zainichi', cujos antepassados chegaram ao Japão na era do domínio colonial japonês sobre a península coreana (1910-1945), e que mantém laços diretos com o Governo de Pyongyang, sendo considerada a embaixada 'de facto' do país comunista no arquipélago.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.