sicnot

Perfil

Mundo

Atentado na Líbia faz dezenas de mortos e feridos

Em atualização

Um atentado com um veículo armadilhado contra um centro de treino da polícia em Zliten, no oeste da Líbia, fez dezenas de mortos e de feridos, avançam as agências de notícias líbias. Uma fonte hospitalar citada pela Reuters fala já em pelo menos 65 mortos.

MOHAME BEN KHALIFA / EPA

De acordo com a agência de notícias Lana - associada ao governo reconhecido pela comunidade internacional -, o atentado cometido por um kamikaze fez 15 mortos e cerca de 30 feridos.

Por outro lado, a agência rival associada ao governo paralelo e que controla Zliten, afirma que morreram 50 pessoas e há 127 feridos, cita a agência France Press.

A Líbia é atualmente um Estado falhado, assolado pelo caos e pela guerra civil, desde que em 2011 a comunidade internacional apoiou um movimento rebelde contra a ditadura de Muammar Khadafi.

Desde as últimas eleições, que o poder está dividido entre dois governos, um com sede em Tripoli e outro, reconhecido pela comunidade internacional, em Tobruk.

Os dois governos são apoiados por grupos de islamitas, senhores de guerra, líderes tribais e traficantes de petróleo, armas, pessoas e droga.

Com a instabilidade no país, o grupo extremista Estado Islâmico e a organização Al-Qaida no Magrebe Islâmico aumentaram a sua influência na Líbia, ganhando poder territorial e contagiando a instabilidade a todo o norte de África.

EM ATUALIZAÇÃO

  • Crianças trocadas à nascença não querem mudar de pais

    Mundo

    Tem todos os ingredientes de um argumento de filme, mas aconteceu de facto na Índia. Dois bebés foram trocados à nascença na maternidade, os resultados de ADN confirmaram-no quase três anos depois, mas as crianças, atualmente com 2 anos e 10 meses, não querem mudar de família.

    SIC

  • Agressões e rascismo em escola de Portimão
    3:06

    País

    Queixas de agressões, insultos, discriminação e racismo numa escola básica de Portimão estão a ser alvo de um processo de averiguações, por parte da autarquia e da direção do agrupamento escolar. As denúncias partem de um grupo de pais e foram tornadas públicas pela organização SOS Racismo.  A principal visada é uma funcionária da cantina, mas também uma professora.

  • Os (maus) hábitos do português ao volante
    1:31