sicnot

Perfil

Mundo

Célebre navio do comandante Cousteau vai voltar a navegar

A associação proprietária do "Calypso", o célebre navio de exploração oceanográfica do comandante Jacques-Yves Cousteau, ao abandono desde 2007 num porto francês, anunciou esta quinta-feira que a embarcação vai regressar ao mar.

Em janeiro de 1996, o "Calypso" naufragou em Singapura. (Arquivo)

Em janeiro de 1996, o "Calypso" naufragou em Singapura. (Arquivo)

© STR New / Reuters

"Estamos a trabalhar para tirar o navio de Concarneau (Bretanha, oeste de França) no prazo de três meses. O nosso objetivo é reparar completamente o navio e que volte a navegar para ser o embaixador dos oceanos, como queria o comandante", disse a associação Equipa Cousteau.

"Consideramos serem necessários entre 12 e 18 meses para pôr o 'Calypso' a navegar. Já contactámos empresas para esta empreitada", acrescentou.

A bordo do "Calypso", o explorador Jacques-Yves Cousteau percorreu, a partir de 1950 e durante mais de 40 anos, os oceanos para realizar filmes sobre os fundos marinhos, vistos em todo o mundo.

Com o seu barrete vermelho de escafandrista, Cousteau realizou vários documentários, sendo provavelmente o mais famoso "Le Monde Du Silence", que ganhou a Palma de ouro no festival de cinema de Cannes, em 1956.

Em janeiro de 1996, o "Calypso" naufragou em Singapura. Posto a flutuar, foi colocado em Concarneau em 2007, onde devia ter sido restaurado.

Divergências entre o estaleiro naval Piriou, encarregado dos trabalhos, e a Equipa Cousteau interromperam a recuperação do navio.

Em dezembro de 2014, a justiça francesa determinou que a associação devia retirar o "Calypso" do estaleiro antes de 12 de março deste ano e pagar à Piriou os trabalhos já efetuados, no valor de cerca de 300 mil euros.

A Equipa Cousteau indicou que o navio podia ser exposto no Mónaco, na água ou em doca seca, enquanto a empresa ameaçava leiloar o "Calypso".

"A Equipa Cousteau conseguiu sentar, à mesma mesa, vários mecenas internacionais generosos e muito motivados", disse a associação na sua página digital.

"Quando o 'Calypso' regressar ao Mediterrâneo, estará a navegar com os seus próprios motores, como queria o comandante Cousteau", acrescentou Francine Cousteau, segunda mulher do explorador e presidente da Equipa Cousteau.

Em comunicado, o estaleiro Piriou garantiu que fará "tudo ao seu alcance para permitir a saída do 'Calypso' da doca nas melhores condições", apesar de afirmar desconhecer o projeto de retirar o navio durante o primeiro trimestre. O estaleiro confirmou ter recebido, em dezembro, a soma devida pela associação.

Lusa

  • Neto de Jacques Cousteau tenta permanecer 31 dias num bunker submarino

    Mundo

    Fabien Cousteau iniciou no passado domingo, 1 de junho, uma aventura que tem como objetivo permanecer 31 dias num bunker submarino. Aquarius, um laboratório instalado a 20 metros de profundidade na Florida, é o espaço onde Fabien tenta superar o recorde de 30 dias atingido pelo avô, Jacques Cousteau, em 1963.

  • Neto de Jacques Costeau vive um mês debaixo de água
    1:30

    Mundo

    Uma equipa de oceanógrafos e investigadores passou um mês debaixo de água. é um novo recorde. Fabien Cousteau, 46 anos, passou os últimos 31 dias a viver no fundo do mar, a 18 metros de profundidade, ao largo das ilhas Key, na Florida. Em 1963, o avô de Fabien, o francês Jacques Cousteau, viveu 30 dias em condições semelhantes, a nove metros de profundidade, no mar Vermelho. O neto assegura que não queria bater o record do avô mas apenas chamar novamente a atenção para a conservação dos oceanos.

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.