sicnot

Perfil

Mundo

Ministro grego das Finanças visita várias capitais europeias, incluindo Lisboa

O ministro grego das das Finanças, Euclide Tsakalotos, inicia na sexta-feira uma deslocação de seis dias a várias capitais europeias, incluindo Lisboa, para conversações sobre a necessidade de aliviar a dívida grega, anunciou hoje o seu gabinete.

Ministro grego das Finanças, Euclide Tsakalotos (Reuters)

Ministro grego das Finanças, Euclide Tsakalotos (Reuters)

© Eric Vidal / Reuters

A Grécia chegou a acordo com os credores em julho para um terceiro programa de resgate em cinco anos, no montante de 86 mil milhões de euros, aceitando em troca lançar várias reformas económicas e sociais.

Os representantes dos credores - Banco Central Europeu, Comissão Europeia, Mecanismo Europeu de Estabilidade e Fundo Monetário Internacional (FMI) - vão regressar a Atenas a partir de 18 de janeiro para fazer uma primeira avaliação dos progressos alcançados em seis meses.

O sucesso desta avaliação poderá permitir a abertura de negociações sobre um alívio da dívida grega, que representa atualmente perto de 200% do Produto Interno Bruto (PIB).

Tsakalotos tenciona visitar Roma, Lisboa, Paris, Helsínquia, Amesterdão e Berlim para se reunir com os seus homólogos, Pier Carlo Padoan, Mário Centeno, Michel Sapin, Alexander Stubb, Jeroen Dijsselbloem e Wolfgang Schäuble.

"Tsakalotos vai discutir o programa europeu, tendo em vista a primeira avaliação e a questão da dívida grega", precisou um comunicado do Ministério das Finanças citado pela AFP.

O Presidente grego, Prokopis Pavlopoulos, deverá reunir-se em Berlim ainda este mês com a chanceler alemã, Angela Merkel.

Antes de começar avaliação do programa, os gregos devem chegar a acordo para uma revisão do sistema de pensões e o primeiro-ministro, Alexis Tsipras, já indicou que não aceitará exigências que não considere razoáveis.

Atenas também mostrou recentemente reservas quanto a possibilidade de o FMI continuar a participar no programa, tendo a organização liderada por Christine Lagarde, do ponto de vista grego, exigências sociais demasiado drásticas. No entanto, do lado europeu, algumas opiniões, como a da Alemanha, defendem que o FMI deve continuar no programa.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.