sicnot

Perfil

Mundo

Estados Unidos criam célula para lutar contra radicalização extremista

A Casa Branca anunciou hoje a criação de uma célula para lutar contra o extremismo violento e a radicalização de indivíduos nos Estados Unidos, na sequência dos atentados "jihadistas" de Paris e San Bernardino (Califórnia).

© Jonathan Ernst / Reuters

O objetivo desta célula é "integrar e harmonizar" os esforços desenvolvidos neste sentido, em território norte-americano, por diferentes agências federais, afirmou Ned Price, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional (NSC).

"Os terríveis atentados em Paris e em San Bernardino evidenciaram a necessidade, para os Estados Unidos e para os nossos parceiros na comunidade internacional e no setor privado, de recusar aos movimentos extremistas como o Estado Islâmico (EI) um terreno fértil para o recrutamento" de operacionais, disse Price.

Este anúncio surge numa altura em que vários responsáveis da Casa Branca estão reunidos em Silicon Valley (Califórnia) com os gigantes da Internet (Facebook, Google, Twitter, Youtube) para analisar como responder à utilização das redes sociais pelo EI.

Estas diferentes iniciativas refletem "o compromisso do presidente (Barack) Obama em tomar todas as medidas possíveis para responder e impedir atividades terroristas onde estiverem a ser desenvolvidas, incluindo 'online'", acrescentou o porta-voz do NSC em comunicado.

Lusa

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.