sicnot

Perfil

Mundo

Controlado incêndio que fez dois mortos e destruiu centenas de casas na Austrália

A descida das temperaturas na Austrália ajudaram os bombeiros a conter um incêndio florestal que no domingo provocou duas mortes e destruiu 143 propriedades, estando em curso ainda as operações no terreno.

O fogo, que deflagrou na sequência de um raio há seis dias, consumiu 71 mil hectares no estado da Austrália Ocidental, é o mais recente de uma série de incêndios que, em todo o país, causaram oito mortes.

"As condições meteorológicas são muito boas hoje, como o foram nas últimas 24 horas, pelo que temos sido essencialmente capazes de conter este fogo", disse o ministro dos Serviços de Emergência da Austrália Ocidental, Joe Francis, à rádio nacional.

"Não está totalmente sob controlo ainda mas estamos muito otimistas também relativamente às próximas 24 horas", disse.

Os níveis de alerta dos serviços de emergência foram diminuídos para as cidades na zona -- incluindo Waroona, Hamel e Yarloop (a cerca de 110 quilómetros a sul de Perth, onde foram encontrados dois corpos nas habitações que arderam.

O incêndio, um dos piores a atingir a região nos últimos anos, destruiu 143 propriedades, incluindo 128 casas em Yarloop.

As autoridades regionais estimam prejuízos na ordem de pelo menos 60 milhões de dólares australianos (38,2 milhões de euros).

A Austrália sofre anualmente incêndios florestais que têm frequentemente efeitos devastadores, como os de 2009 no estado de Victoria, que fizeram 173 mortos e destruíram 2.000 casas no chamado "sábado negro".

Lusa

  • João Galamba deixa de ser porta-voz do PS

    País

    João Galamba vai deixar de ser porta-voz do PS e de integrar a comissão permanente do partido. A nova porta-voz dos socialistas vai ser Maria Antónia Almeida Santos, que já integrava a comissão independente, órgão de direção política do PS.

  • Mariano Rajoy não vai convocar eleições antecipadas
    1:24

    Mundo

    O governo espanhol está por um fio por causa de um processo de corrupção a envolver dirigentes do PP. O PSOE apresentou uma moção de censura e o Ciudadanos pede eleições antecipadas. O chefe do governo, Mariano Rajoy, já disse que não vai convocar eleições.