sicnot

Perfil

Mundo

Estado Islâmico reivindica ataque a centro comercial em Bagdad

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou hoje o ataque a um centro comercial em Bagdad que provocou pelo menos 12 mortos,

Numa declaração divulgada na internet, o grupo 'jihadista' referiu que quatro dos seus membros efetuaram o ataque e referiu que cerca de 90 pessoas foram mortas ou feridas.

O EI tem reivindicado vários atentados em Bagdad contra civis xiitas.

Responsáveis pelos serviços de segurança e fontes médicas já anunciaram o fim do ataque, com um balanço provisório de 12 mortos e dezenas de feridos.

Homens armados sequestraram um número indeterminado de pessoas no centro comercial de Bagdad, onde entraram depois de fazerem explodir um veículo armadilhado na rua.

Os atacantes permaneceram até ao início da noite no interior do centro comercial no bairro de Bagdad al-Jadida, no leste da capital iraquiana.

Fonte médica confirmou de início que pelo menos oito mortos tinham sido levados para o hospital, assim como 14 feridos.

Lusa

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.