sicnot

Perfil

Mundo

Canadiano libertado após cinco anos de sequestro no Afeganistão

Um canadiano que foi raptado há cinco anos pelos talibãs, que o acusaram de espionagem, foi libertado, anunciou esta segunda-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros canadiano, Stéphane Dion.

(Arquivo)

(Arquivo)

© USA Today Sports / Reuters

As circunstâncias e a data exata do sequestro de Colin Rutherford nunca foram precisadas com clareza. O seu desaparecimento na província de Ghazni, no centro do país e com uma importante presença da rebelião islamita, apenas foi revelado em fevereiro de 2011.

À época, o Governo canadiano tinha indicado que Colin Rutherford, então com 26 anos, visitava o Afeganistão, que era já palco de confrontos, como simples turista.

Num vídeo difundido em maio de 2011 pelos talibãs, o homem dizia que estava no país para estudar "história, os locais históricos, as ruínas, os túmulos", e negava qualquer ligação ao seu governo.

O Canadá integrava na ocasião a coligação internacional que combatia os talibãs, com cerca de 3.000 soldados colocados no país asiático.

Os últimos soldados canadianos retiraram do Afeganistão em 2014.

"O Canadá está muito satisfeito que os esforços efetuados para obter a libertação de Colin Rutherford tenham sido frutuosos", referiu o ministro Stéphane Dion em comunicado, numa referência ao papel do Qatar na libertação do seu cidadão.

No entanto, não precisou onde se encontrava atualmente o canadiano, apesar de ter sublinhado que o seu governo iria ajudá-lo "a regressar a casa com toda a segurança".

"Agradeço sinceramente ao governo do Qatar pela sua ajuda neste caso", acrescentou o chefe da diplomacia canadiana, sem precisar a natureza da ajuda fornecida pelo emirado.

A libertação de Colin Rutherford ocorreu no dia do recomeço das conversações em Islamabad entre o Afeganistão, Paquistão, China e Estados Unidos, para relançar o diálogo entre os talibãs e as autoridades de Cabul.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.