sicnot

Perfil

Mundo

Líder da comunidade judaica de Marselha aconselha judeus a não usarem a kippa

O presidente da comunidade judaica de Marselha "incitou" hoje os judeus desta cidade do sudeste da França a "retirarem a kippa", um dia após a agressão com uma catana a um professor judeu.

© Jorge Lopez / Reuters

"Hoje, e perante a gravidade dos acontecimentos (...) é necessário tomar medidas excecionais, e para mim, a vida é mais sagrada que qualquer outro critério", declarou Zvi Ammar à agência noticiosa AFP.

O presidente do consistório israelita de Marselha aconselhou os seus seguidores a "retirarem a kippa durante este período turbulento e até melhores dias". "Estamos forçados a esconder-nos um pouco", explicou.

O autor da agressão, um adolescente de 15 anos de origem curda e nacionalidade turca, reivindicou perante os polícias ter agido "em nome de Alá" e do grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

O procurador antiterrorista de Paris ocupou-se do inquérito e o jovem foi transferido esta tarde para a sede da polícia antiterrorista na região parisiense. Na manhã de segunda-feira, atacou com uma catana um professor de 35 anos que usava a kippa e se dirigia para o estabelecimento privado onde leciona. O agredido defendeu-se e ficou ligeiramente ferido.

"Disse-lhe para parar de me bater mas continuava e pensei que não ia sair vivo", declarou ao jornal regional La Provence. Segundo o advogado, o seu cliente disse ter a impressão "que [o jovem] pretendia decapitar-me, mas a catana não estava suficientemente afiada".

O agressor era desconhecido da polícia e, segundo referiu o procurador de Marselha, Brice Robin, os serviços de informações franceses referiram que se radicalizou recentemente "via internet".

A comunidade judaica de Marselha, cerca de 70.000 dos 855.000 habitantes, é a segunda mais importante de França após Paris e a sua região, foi nos últimos meses alvo de duas outras agressões anti-semitas.

Desde os atentados 'jihadistas' de janeiro de 2015 em Paris, contra jornalistas, judeus e polícias, mais de 700 sinagogas, escolas judias e centros comunitários estão protegidos pelo exército ou polícia.

Lusa

  • O que o mundo diz sobre o busto de Cristiano Ronaldo

    Desporto

    O Aeroporto Cristiano Ronaldo foi inaugurado esta quarta-feira. A notícia foi dada pelos meios de comunicação de todo o mundo, que não deixaram passar o busto do jogador português, apresentado pelo próprio. A estátua foi amplamente comentada e analisada, com palavras como "terrível", "duvidoso" e "bizarro".

    Ana Rute Carvalho

  • Mulher detida ao tentar atropelar polícias junto ao Capitólio, em Washington

    Mundo

    Agentes da polícia abriram fogo contra uma mulher (e não um homem, ao contrário do que inicialmente se disse) que conduzia um carro perto do Capitólio e tentava atropelá-los, segundo o Departamento da Polícia Metropolitana de Washington. A mulher foi detida mas a polícia garante que não se tratou de um ato terrorista.

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.