sicnot

Perfil

Mundo

México diz que 80% dos criminosos mais perigosos deixaram de ser ameaça

O Presidente mexicano disse hoje que 80% dos criminosos mais perigosos do país deixaram de ser ameaça e que a detenção de "El Chapo" Guzmán acredita a coordenação das instituições a favor da segurança e do Estado de Direito.

© Edgard Garrido / Reuters

A detenção de Joaquín "El Chapo" Guzmán, o "criminoso mais procurado do mundo", acredita a coordenação das instituições mexicanas em favor da segurança e do Estado de Direito, afirmou Enrique Peña Nieto, numa mensagem a propósito do Ano Novo, transmitida pela televisão.

"Com esta ação, 98 dos 122 delinquentes mais perigosos já não representam uma ameaça para a sociedade", realçou.

Peña Nieto reconheceu que ainda existem "desafios", os quais o país está, no entanto, a enfrentar com "visão e determinação".

"Apesar do complexo ambiente internacional de alta volatilidade cambial e financeira, a economia mexicana tem estabilidade e está a crescer", disse, sublinhando que graças às reformas estruturais impulsionadas pelo seu Governo, o país está melhor preparado para "enfrentar e aproveitar esta conjuntura".

O Presidente mexicano elencou alguns resultados das reformas, como a revisão em baixa dos preços da gasolina e do 'diesel', desde 01 de janeiro, "pela primeira vez em 24 anos", bem como o novo corte nas tarifas de eletricidade das casas, lojas e indústrias do México.

Lusa

  • Imagens da operação militar que levou à recaptura de "El Chapo"
    1:48

    Mundo

    As imagens divulgadas esta segunda-feira pelo Governo mexicano são da operação militar que permitiu, na última semana, a recaptura de "El Chapo", um dos narcotraficantes mais procurados do mundo. Entretanto, soube-se também que a extradição para os Estados Unidos levará pelo menos um ano. Os advogados preparam os recursos legais e as autoridades temem já que "El Chapo" volte a fugir da prisão.

  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, fez 100 dias este sábado. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52