sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro livro do Papa Francisco defende mensagem de misericórdia da Igreja

O papa Francisco defende no seu primeiro livro, que vai ser lançado hoje, que a "Igreja não está no mundo para condenar", mas para transmitir uma mensagem de misericórdia a uma "Humanidade que tem feridas profundas".

© Tony Gentile / Reuters

"Não são apenas as doenças sociais e as pessoas feridas pela pobreza, pela exclusão social, pelas inúmeras escravidões do terceiro milénio. Também o relativismo fere muitas pessoas: tudo parece igual, tudo parece o mesmo", refere um excerto do livro "O nome de Deus é misericórdia".

Francisco explica que a Igreja "não está no mundo para condenar, mas para permitir o encontro com (...) a misericórdia de Deus", e defende que "para isso (...) é necessário sair das igrejas e das paróquias" e procurar as pessoas "onde vivem e sofrem".

"O nome de Deus é misericórdia" resulta de uma conversa com o vaticanista do jornal italiano La Stampa Andrea Tornielli sobre o tema e a mensagem católica da misericórdia, central no percurso de Jorge Bergoglio.

Editado em Portugal pela Planeta, o primeiro livro de Francisco inclui a bula de proclamação do jubileu extraordinário da misericórdia "Misericoriae Vultus", que explica a decisão do papa de proclamar este ano jubilar.

O livro vai estar disponível, em simultâneo, em 86 países e em seis línguas: italiano, inglês, francês, alemão, espanhol e português.

A cerimónia de lançamento vai decorrer no Instituto Augustiniani, no Vaticano.

Este é o primeiro livro publicado por Jorge Bergoglio desde que foi eleito em março de 2013. Em junho, a encíclica "Laudato Si", também traduzida em várias línguas, foi um êxito mundial de vendas.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.