sicnot

Perfil

Mundo

Charlie Hebdo levanta polémica com nova sátira sobre menino sírio afogado na Turquia

O semanário Charlie Hebdo, atacado há um ano por 'jihadistas' depois da publicação de uma caricatura do profeta Maomé, voltou a levantar polémica com uma nova sátira sobre um menino sírio afogado na Turquia e a crise dos refugiados.

Aylan Kurdi, um menino sírio de apenas 3 anos, foi uma das milhares de vítimas entre os migrantes que tentaram fugir a uma guerra da qual sempre se procuraram alhear.

Aylan Kurdi, um menino sírio de apenas 3 anos, foi uma das milhares de vítimas entre os migrantes que tentaram fugir a uma guerra da qual sempre se procuraram alhear.

AP

O caricaturista e diretor da publicação satírica francesa, Laurent Sourisseau "Riss", aproveitou o recente alarme causado por abusos sexuais e roubos em massa, na Alemanha, na noite da passagem do ano, e que têm como presumíveis autores requerentes de asilo, para imaginar o futuro da criança síria, de 3 anos, que se afogou numa praia da Turquia, caso a sua viagem para a Europa tivesse sido bem-sucedida.

"O que teria sido o pequeno Aylan se tivesse crescido? Abusador de mulheres na Alemanha", assinala o desenho, no qual se vê uma imagem da criança, cujo corpo apareceu em setembro numa praia da Turquia, juntamente com a de dois jovens a perseguirem várias raparigas.

Nas redes sociais apareceram diversas críticas à imagem, nas quais internautas acusam a publicação de racismo.

As piadas sobre Aylan já haviam custado ao Charlie Hebdo críticas, depois de o semanário ter parodiado, em setembro, a imagem do menino.

A nova sátira colheu, no entanto, também opiniões a elogiarem o humor da publicação.

No ataque de há um ano à redação do Charlie Hebdo morreram 12 pessoas, incluindo o antigo diretor Stépahne Charbonnier "Charb" e vários caricaturistas, como o veterano Jean Cabut "Cabu".

Lusa

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.