sicnot

Perfil

Mundo

Ministro iraniano diz que sanções internacionais contra o seu país serão hoje levantadas

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohammad Javad Zarif, disse em Viena que as sanções relacionadas com a questão nuclear no seu país serão levantadas hoje, acrescentado que é um dia bom para o mundo.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Heinz-Peter Bader / Reuters

"Também é um bom dia para a região", disse Zarif aos jornalistas ao chegar à capital da Áustria, de acordo com a agência de notícias Irna.

"Hoje é um bom dia para o povo do Irão e as sanções serão levantadas hoje", acrescentou o ministro iraniano.

Zarif encontra-se em Viena para participar numa cerimónia para o anúncio da implementação do acordo nuclear assinado em julho de 2015 entre Teerão e as grandes potências ocidentais, destinado a finalizar mais de treze anos de litígio.

Esse texto deve garantir que o Irão não pode possuir bombas atómicas, em troca de um levantamento progressivo e controlado das sanções internacionais que foram adotadas a partir de 2006.

Zarif deve encontrar em Viena o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e a chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini.

"Além do anúncio da implementação do acordo nuclear, irei encontrar-me com Kerry, Mogherini e (Yukiya) Amano", diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), disse o ministro.

A AIEA ainda deverá confirmar formalmente que os iranianos cumpriram os compromissos assumidos no quadro do acordo de julho. Um relatório para o efeito será "provavelmente" divulgado hoje, de acordo com fontes diplomáticas em Viena.

"Após a entrada em vigor do acordo nuclear, o terreno será propício para uma grande cooperação ao nível regional para lutar contra o perigo que ameaça a nossa região, ou seja, o terrorismo e o extremismo", disse, referindo-se nomeadamente ao crescimento dos grupos 'jihadistas' como os radicais do Estado Islâmico.

"Estamos prontos e esperamos que os outros países vizinhos e a comunidade internacional estejam prontos", acrescentou.

Lusa

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43
  • À redescoberta da Madeira, 16 anos depois
    1:59
  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.

  • Samsung vai vender modelos reparados do Galaxy Note 7

    Economia

    A Samsung Electronics anunciou hoje que vai vender e alugar telemóveis reparados do modelo Galaxy Note 7 depois de no ano passado a empresa ter decidido suspender a respetiva produção devido a incêndios nas baterrias de íon-lítio.

  • Acidentes em falésias matam 94 pescadores lúdicos

    País

    Mais de 90 pescadores lúdicos morreram nos últimos 19 anos e 137 ficaram feridos em 252 acidentes registados em zona rochosa ou em falésia, a maioria na zona de Lagos, Faro, segundo dados da Autoridade Marítima Nacional.