sicnot

Perfil

Mundo

Acordo nuclear não é ameça para nenhum país, garante Presidente iraniano

Acordo nuclear não é ameça para nenhum país, garante Presidente iraniano

O Presidente do Irão sublinhou a importância do levantamento das sanções nucleares contra o país. Hassan Rouhani argumentou que é uma vitória para toda a nação e não representa ameaça para nenhum país.

"Nós, iranianos, estendemos a mão ao mundo em sinal de paz e ao deixarmos para trás todas as hostilidades, suspeições e conspirações abrimos uma nova página nas relações do Irão com o mundo", disse Rohani, numa mensagem ao país, noticiou a agência oficial Irna.

Rohani acrescentou que o acordo "não é contra o interesse de nenhum país".

"Os amigos do Irão estão contentes e os seus adversários não devem ficar inquietos. O Irão não é uma ameaça para nenhum país que tenha uma mensagem de paz, de estabilidade e de segurança na região e no mundo", afirmou.

"Agora que (...) as sanções foram levantadas (...) é tempo de construir o país", acrescentou o Presidente iraniano na sua mensagem de hoje ao país.

Durante a madrugada, através do Twitter, Hassan Rohani havia já saudado a aplicação do acordo nuclear e congratulou-se com a "vitória gloriosa" do povo iraniano.

"Agradeço a Deus e inclino a cabeça perante a grandeza do paciente povo do Irão. Felicito-vos por esta vitória", referiu na mensagem.

Israel e Arábia Saudita são dois países que criticaram o acordo, tendo o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, voltado a dizer no sábado que o Irão vai continuar a tentar munir-se de uma arma nuclear.

A Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) confirmou no sábado que o Irão cumpriu as exigências para pôr em marcha o histórico acordo nuclear assinado em julho passado em Viena e para levantar as sanções internacionais ao país.

O tratado nuclear multilateral de Viena prevê limitar vários aspetos do programa nuclear iraniano durante períodos de entre 10 e 25 anos, a troca de levantar as sanções internacionais.

"As relações entre o Irão e a AIEA entram numa nova fase. É um dia importante para a comunidade internacional. Felicito todos os que ajudaram a tornar este dia realidade", assinalou Yukuiya Amano, diretor-geral da AIEA.

Assim, o Irão vai começar a aplicar provisoriamente um protocolo adicional, para que os inspetores da agência nuclear da ONU possam realizar visitas e inspeções sem aviso prévio do país.

"Isto aumenta as capacidades da agência para supervisionar as atividades nucleares do Irão e verificar que são pacíficas", concluiu Amano.

Na sequência deste anúncio, Estados Unidos da América, União Europeia e Conselho de Segurança das Nações Unidas levantaram as sanções ao Irão.

Também no sábado, os Estados Unidos e o Irão concretizaram uma troca de prisioneiros sem precedentes, com Teerão a libertar quatro americano-iranianos e Washington a conceder clemência a sete iranianos, seis com dupla nacionalidade.

  • Economia portuguesa a crescer
    2:26
  • Os likes dos candidatos às autárquicas no Facebook
    4:00

    Autárquicas 2017

    Se há mais de 5 milhões de portugueses no Facebook, é natural que as autárquicas também passem pela rede social mais usada no país e no mundo. A SIC apresenta-lhe os 10 candidatos cujas páginas têm mais seguidores e, para a comparação ser mais justa, os que têm mais seguidores em Portugal - porque há também quem estranhamente tenha milhares de fãs em países como Egito, Filipinas ou Vietname.

  • Embaixador do Bangladesh pede ajuda aos portugueses no caso dos rohingya

    Mundo

    O embaixador do Bangladesh em Lisboa pediu esta sexta-feira aos portugueses que ajudem a resolver o problema dos rohingya. Desde o final de agosto, mais de 400 mil pessoas desta minoria muçulmana fugiram de Myanmar, a antiga Birmânia. O Bangladesh já tinha acolhido outros 400 mil refugiados e vê-se agora a braços com esta crise migratória. Pede por isso a Portugal que pressione Myanmar para aceitar de volta e em segurança os rohingya.