sicnot

Perfil

Mundo

Biotrial defende evolução dos padrões utilizados nos ensaios clínicos

O laboratório francês Biotrial, responsável por um ensaio clínico em França que provocou a morte de uma pessoa e a hospitalização de outras cinco, defendeu hoje a necessidade de evolução dos padrões que enquadram esses estudos.

(Sic/Arquivo)

(Sic/Arquivo)

EPA

A Biotrial decidiu "propor, junto da comunidade científica internacional, evoluções dos padrões", indicou a empresa em comunicado enviado aos media franceses.

O laboratório também anunciou ter decidido "criar de imediato um comité científico de referência para investigar a origem desse acidente", definido como "inédito e imprevisível" e sobre o qual ainda se desconhecem as causas.

"Os ensaios precedentes com o produto experimental BIA-10-2474 não revelaram nenhuma anomalia", acrescentou o laboratório, insistindo que colabora com a justiça "com total transparência".

Num outro comunicado, a Biotrial tinha assegurado que o estudo se realizou "em total conformidade com os regulamentos internacionais".

A ocorrência surgiu na primeira fase desse ensaio terapêutico que foi interrompido, em que foi ministrado a 90 voluntários sãos a molécula BIA 10-2474 no âmbito da preparação de um medicamento para tratar problemas motores e de ansiedade relacionados com doenças neuro-degenerativas.

Os seis voluntários afetados tinham entre 28 e 49 anos, pertenciam ao mesmo grupo, receberam a mesma dose, começaram a tomar a molécula em 7 de janeiro e fizeram-no de forma repetida, ao contrário das restantes "cobaias" humanas.

Lusa

  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01
  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11
  • PSP descentraliza a regularização de armas
    3:55

    País

    A PSP de Bragança percorreu os 12 concelhos do distrito ao encontro dos proprietários de armas com vista à sua regularização. A iniciativa, que pretende evitar a deslocação das pessoas à capital de distrito, teve uma forte adesão.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.