sicnot

Perfil

Mundo

Dez suspeitos indiciados na Turquia pelo atentado de Istambul

Um tribunal de Istambul indiciou e determinou hoje a detenção de dez suspeitos, por "pertencerem a uma organização terrorista", em ligação ao atentado suicida de terça-feira, em Istambul, atribuído ao Daesh, que vitimou dez turistas alemães.

Reuters/Arquivo

Reuters/Arquivo

© Murad Sezer / Reuters

Seis outros suspeitos também compareceram perante o juiz antes de serem libertados, precisou a agência noticiosa Dogan.

Na manhã de hoje, 16 pessoas foram indiciadas perante este tribunal, com os procuradores a pedirem que todos os suspeitos fossem acusados.

Na quinta-feira, o ministro turco do Interior, Efkan Ala, tinha anunciado sete detenções relacionadas com o ataque. Nenhum anúncio oficial foi divulgado posteriormente.

O atentado foi dirigido na manhã de terça-feira contra um grupo de turistas alemães, a algumas centenas de metros da basílica de Hagia Sophia (Santa Sofia) e da Mesquita azul, dois dos monumentos mais visitados na megalópole turca.

Segundo as autoridades turcas, foi perpetrado por um sírio de 28 anos, identificado pelos media como Nabil Fadli, que, segundo o primeiro-ministro turco, Ahmet Davutoglu, é "membro" do grupo 'jihadista' EI, e que entrou em território turco proveniente da Síria como "simples migrante".

No ataque ficaram ainda feridas 17 pessoas.

Na sequência de diversos atentados mortíferos, as autoridades turcas têm multiplicado as operações de controlo nos meios 'jihadistas' e reforçaram o controlo das fronteiras para tentar suster o fluxo de recrutas estrangeiros que se juntam ao Daesh, na Síria.

A Turquia, que vinha sendo acusada de complacência face aos rebeldes radicais, em guerra contra o regime de Damasco, decidiu juntar-se no verão à coligação internacional 'anti-jihadista'.

Com Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15