sicnot

Perfil

Mundo

Estudo revela que aquecimento global atinge profundamente os oceanos

Nas últimas duas décadas, os oceanos absorveram tanto calor resultante do aquecimento global como haviam absorvido durante os últimos 130 anos, revela um estudo hoje publicado.

© Stephane Mahe / Reuters

Essa absorção acelerada, que tem ajudado a manter os habitats humanos frios, a longo prazo pode ser uma bomba-relógio que afeta o estado do tempo e o clima a nível global, alertam os cientistas.

"Metade do total de calor acumulado pelos oceanos desde 1865 foi absorvido após 1997", ou seja, nos últimos 19 anos, segundo a equipa de investigadores, liderada por Peter Gleckler, do Laboratório Nacional Laurence Livermore, na Califórnia.

Um terço dessa acumulação de calor verificada nos anos mais recentes ocorreu a uma profundidade de 700 metros ou mais, fora do alcance da luz solar, o que pode explicar a aparente pausa no aquecimento que se observava na superfície do mar desde o final do século XX e que foi interpretada como uma desaceleração do aquecimento global.

As conclusões da investigação integram o mais recente número da publicação científica Nature Climate Change e resultam sobretudo de mecanismos de observação, tendo os primeiros dados sido recolhidos no século XIX pela expedição HMS Challenger, da Britain's Royal Society, entidade frequentemente descrita como tendo lançado as bases da oceanografia moderna.

Quanto aos registos mais recentes, foram obtidos por navios e - no caso das medições até 2.000 metros de profundidade - através das denominadas boias Argo espalhadas pelos oceanos.

Lusa

  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • China descobre nova mutação do vírus H7N9

    Mundo

    A China descobriu uma nova mutação do vírus H7N9, considerada a mais mortífera das estirpes que causam a gripe das aves, sobretudo para aves vivas, não representando nova ameaça para os seres-humanos, informou hoje a imprensa estatal.

  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.