sicnot

Perfil

Mundo

As piores palavras-passe de 2015

Cada vez mais, as ações mais simples do dia-a-dia estão dependentes de palavras-passe. Criadas em nome da segurança de quem as usa, a verdade é que de acordo com a empresa SlashData, a maioria é facilmente violável.

© Kacper Pempel / Reuters

A lista anual elaborada desde 2011 chega à conclusão de que a generalidade das pessoas usa quase sempre as mesmas fórmulas, e inclusivé as mesmas palavras-passe e que não tem particular cuidado quando define a chave de acesso a determinada informação confidencial.

Neste estudo que analisou dois milhões de novas palavras passe criadas em 2015, é possível encontrar a clássica "123456", no topo das piores palavras-passe de sempre; "qwerty" - a primeira linha das letras do teclado ocidental - segue-se na lista e "football" ou "baseball" são igualmente fáceis de detetar.

"Welcome" ou "login" são outros dois exemplos a não seguir na hora de escolher uma chave de segurança.

Veja aqui a lista completa:

1) 123456
2) password
3) 12345678
4) qwerty
5) 12345
6) 123456789
7) football
8) 1234
9) 1234567
10) baseball
11) welcome
12) 1234567890
13) abc123
14) 111111
15) 1qaz2wsx
16) dragon
17) master
18) monkey
19) letmein
20) login
21) princess
22) qwertyuiop
23) solo
24) passw0rd
25) starwars

  • "A nossa lei tem demasiados buracos"
    0:44

    País

    Rui Cardoso acusa a classe política de não querer resolver os problemas da corrupção em Portugal. Entrevistado na Edição da Noite da SIC Notícias o magistrado do Ministério Público considera que ainda há um longo caminho a percorrer no combate à corrupção.

  • Beyoncé e a irmã caem e o vídeo torna-se viral

    Cultura

    Beyoncé voltou este fim de semana a subir ao palco do Coachella, depois de ter atuado na primeira semana do festival que decorreu no deserto da Califórnia, nos EUA. A cantora norte-americana voltou a brilhar, mas foi o momento em que caiu no palco com a irmã, Solange, que acabou por se tornar viral.

    SIC

  • Cientistas querem sequenciar genomas de 15 milhões de espécies

    Mundo

    Um consórcio internacional de cientistas, que por enquanto não inclui portugueses, propõe-se sequenciar, catalogar e analisar os genomas (conjuntos de informação genética) de 15 milhões de espécies, uma tarefa que levará dez anos a fazer, foi divulgado esta segunda-feira.