sicnot

Perfil

Mundo

As piores palavras-passe de 2015

Cada vez mais, as ações mais simples do dia-a-dia estão dependentes de palavras-passe. Criadas em nome da segurança de quem as usa, a verdade é que de acordo com a empresa SlashData, a maioria é facilmente violável.

© Kacper Pempel / Reuters

A lista anual elaborada desde 2011 chega à conclusão de que a generalidade das pessoas usa quase sempre as mesmas fórmulas, e inclusivé as mesmas palavras-passe e que não tem particular cuidado quando define a chave de acesso a determinada informação confidencial.

Neste estudo que analisou dois milhões de novas palavras passe criadas em 2015, é possível encontrar a clássica "123456", no topo das piores palavras-passe de sempre; "qwerty" - a primeira linha das letras do teclado ocidental - segue-se na lista e "football" ou "baseball" são igualmente fáceis de detetar.

"Welcome" ou "login" são outros dois exemplos a não seguir na hora de escolher uma chave de segurança.

Veja aqui a lista completa:

1) 123456
2) password
3) 12345678
4) qwerty
5) 12345
6) 123456789
7) football
8) 1234
9) 1234567
10) baseball
11) welcome
12) 1234567890
13) abc123
14) 111111
15) 1qaz2wsx
16) dragon
17) master
18) monkey
19) letmein
20) login
21) princess
22) qwertyuiop
23) solo
24) passw0rd
25) starwars

  • NATO retoma diálogo com a Rússia

    Mundo

    O Conselho da NATO - Rússia foi instituído em 2002 e decorreu sem interrupções até à anexação da Crimeia, em 2014. O conflito separatista na Ucrânia dividiu a Aliança Atlântica e Moscovo e suspendeu toda a colaboração prática - desde civil a militar. Agora e na véspera da primeira reunião ministerial em Bruxelas com o estreante secretário de Estado americano Rex Tillerson, os países da NATO tentam a aproximação formal e reativação do diálogo político com Moscovo.

  • O poder da linguagem corporal nos tribunais
    9:12

    País

    Rui Mergulhão Mendes, especialista em 'profiling' na Emotional Business Academy, em Lisboa, esteve na Edição da Noite desta quarta-feira para explicar como é que um especialista em linguagem pode ajudar um tribunal a dar um veredito.