sicnot

Perfil

Mundo

Organizações não-governamentais e ONU apelam para fim da guerra na Síria

Dezenas de organizações não-governamentais e agências da ONU apelaram hoje a todos os cidadãos do mundo para que se "façam ouvir" e exijam o fim do conflito na Síria, onde milhões de pessoas precisam de ajuda.

© Khalil Ashawi / Reuters

"Apelamos não apenas aos governos, mas a cada um de vós, cidadãos de todo o mundo, para que façam ouvir as vossas vozes a fim de deter esta carnificina", refere um comunicado divulgado pela UNICEF (Fundo da ONU para a Infância).

No comunicado, as quase 100 organizações não-governamentais e agências da ONU exortam "todas as partes em conflito a chegarem a um acordo de cessar-fogo e a um caminho para a paz".

"Hoje em dia, cerca de 13,5 milhões de pessoas no interior da Síria precisam de assistência humanitária. Não se trata de uma simples estatística. São 13,5 milhões de seres humanos cujas vidas e futuro estão em perigo", alertam.

As organizações não-governamentais e a ONU exigem também "acesso sem restrições" às organizações para prestar apoio humanitário às pessoas, períodos de cessar-fogo para distribuição de alimentos e de outras ajudas urgentes a civis, o fim dos ataques a infraestruturas civis, incluindo escolas e hospitais, e a liberdade de movimentos para todos os civis".

"Em nome da humanidade a que todos pertencemos, a bem dos três milhões de inocentes que já tanto sofreram e em nome dos milhões de pessoas cujas vidas e futuros estão ameaçados, apelamos a uma ação imediata", insistem.

Lusa

  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01
  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11
  • PSP descentraliza a regularização de armas
    3:55

    País

    A PSP de Bragança percorreu os 12 concelhos do distrito ao encontro dos proprietários de armas com vista à sua regularização. A iniciativa, que pretende evitar a deslocação das pessoas à capital de distrito, teve uma forte adesão.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.