sicnot

Perfil

Mundo

Putin "provavelmente aprovou" assassínio de ex-espião do KGB

O Presidente russo, Vladimir Putin, "provavelmente aprovou" o assassínio em Londres de Alexandre Litvinenko, perpetrado por dois agentes russos, afirmou hoje um juiz britânico, nas conclusões do inquérito oficial à morte do ex-espião do KGB.

Alexandre Litvinenko morreu envenenado por polónio no final de novembro de 2006, três semanas depois de um encontro no Millennium Hotel, no centro de Londres, com dois ex-agentes russos.

Alexandre Litvinenko morreu envenenado por polónio no final de novembro de 2006, três semanas depois de um encontro no Millennium Hotel, no centro de Londres, com dois ex-agentes russos.

© Stringer Russia / Reuters (Arquivo/ 1998)

"A operação do FSB (ex-KGB) foi provavelmente aprovada por Patruchov (Nikolai Patruchov, ex-chefe do FSB) e também pelo Presidente Putin", disse Robert Owen nas conclusões.

Alexandre Litvinenko, de 43 anos, morreu envenenado por polónio no final de novembro de 2006, três semanas depois de um encontro no Millennium Hotel, no centro de Londres, com dois ex-agentes russos, Andrei Lugovoi - atualmente deputado de um partido nacionalista - e Dmitri Kovtun, empresário.

"Tenho a certeza que Lugovoi e Kovtun colocaram o polónio 210 no bule (de chá) a 1 de novembro de 2006. Tenho a certeza que fizeram isto com a intenção de envenenar Litvinenko", escreveu o juiz Owen.

De acordo com o juiz, uma primeira dose mais fraca de polónio foi administrada antes, a 16 de outubro, antes da dose de 01 de novembro que matou Litvinenko.

"As provas que apresentou estabelecem claramente a responsabilidade do Estado russo na morte de Litvinenko", antigo espião do KGB, acrescentou.

O Kremlin desmentiu qualquer implicação no caso e o principal acusado Lugovoi já negou ter envenenado Litvinenko, uma "acusação absurda" da justiça britânica, de acordo com a agência noticiosa russa Interfax.

"As acusações são absurdas", declarou Lugovoi à Interfax.

"Os resultados do inquérito hoje divulgado confirmam, uma vez mais, a posição contra a Rússia de Londres, uma visão parcial e a relutância britânica em apurar a verdadeira causa da morte de Litvinenko", acrescentou.

Marina Litvinenko, viúva de Alexandre, afirmou "estar muito satisfeita por as palavras proferidas pelo marido antes de morrer, quando acusou Putin, terem sido provadas por um tribunal britânico".

"Peço (...) a aplicação de sanções económicas dirigidas e proibições de viajar contra Patruchov e Putin", declarou à imprensa britânica Marina Litvinenko.

Lusa

  • IPSS no Seixal alvo de processo e auditoria financeira
    1:47

    País

    A Segurança Social está fazer mais uma inspeção total a uma IPSS, agora na Associação Unitária de Reformados, Pensionistas e Idosos do Seixal. A fiscalização já recolheu documentação e está agora a passar a pente fino as contas, os serviços e todos os procedimentos da Instituição.

    Investigação SIC - Hoje no Jornal da Noite

    SIC

  • "Vai custar muito a voltarmos à realidade"
    2:22
  • Quando o frio até as pestanas congela

    Mundo

    Os termómetros desceram até aos - 67º Celsius em Yakutia, 5.300 quilómetros a Este de Moscovo, na Rússia. Nesta região, os estudantes estão habituados a manter as rotinas, mesmo quando as valores chegam aos - 40º Celsius, mas esta terça-feira as autoridades encerraram escolas e aconselharam a população a ficar em casa, longe do frio que até as pestanas congela.

    SIC

  • Quase 600 pedidos de nulidade de casamentos católicos em três anos
    1:38

    País

    Entre 2015 e 2017, 575 casais portugueses pediram a anulação do casamento católico. O ano passado o número de pedidos duplicou em relação a 2015. Desde esse ano, e por decisão do Papa Francisco, que os pedidos de nulidade do casamento pela Igreja são mais simples, mais baratos e mais rápidos.

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31

    País

    Rui Rio diz que a decisão sobre o futuro da liderança da bancada parlamentar do PSD só será tomada depois de falar com Pedro Passos Coelho e com Hugo Soares. Em entrevista à RTP, a primeira depois de vencer as diretas, o Rui Rio lembrou esta terça-feira que Passos Coelho ainda é líder do partido.

  • Deputado dorme no Parlamento britânico
    0:58