sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy rejeita iniciar processo de formação de governo

O presidente do Partido Popular (PP) espanhol, Mariano Rajoy, declinou esta sexta-feira o convite do Rei de Espanha de se submeter a votação de investidura no Congresso dos Deputados, informou a Casa Real espanhola.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Susana Vera / Reuters

A recusa de Rajoy foi anunciada numa nota divulgada após uma reunião do Rei com o presidente do Congresso dos Deputados, Patxi López, que serviria para lhe comunicar o nome do líder partidário que tinha convidado para se apresentar a votação de investidura à presidência do Governo.

Felipe VI deu indicações ao presidente do parlamento para lhe fornecer uma lista dos líderes parlamentares para que possa iniciar uma segunda ronda de audições do palácio real. Ao longo desta semana, o rei ouviu 14 líderes partidários, o último dos quais Mariano Rajoy, na tarde de hoje.

"Dom Mariano Rajoy Brey agradeceu a sua majestade o Rei o convite [para se apresentar a votação para presidente do governo], que recusou", refere a nota da casa real espanhola.

Na quinta-feira, Mariano Rajoy, chefe do governo em funções, tinha declarado que iria apresentar-se a votação no parlamento para ser reeleito, apesar das dúvidas que surgiram devido à falta de acordos do PP com outras forças políticas.

"Evidentemente que vou apresentar a minha candidatura [para votação de investidura no Congresso dos Deputados]. Mais de sete milhões de espanhóis votaram em nós e sinceramente acredito que, na situação em que estamos, um pouco de sensatez e compostura é bem-vindo", disse Rajoy pouco antes de um evento no Museu do Prado, em Madrid.

Rajoy, no entanto, não especificou se se apresentaria a uma primeira votação - na qual necessitaria de maioria absoluta - ou às seguintes (maioria simples).

Com Lusa

  • Rajoy insiste no acordo entre PSOE e Ciudadanos
    1:10

    Mundo

    O primeiro-ministro de Espanha insiste num acordo de governo com o PSOE e o Ciudadanos, para mostrar que existe estabilidade política no país. Sobre as eleições na Catalunha, Mariano Rajoy preferia que Artur Mas pusesse fim à luta pela independência da região, mas na impossibilidade de isso acontecer, defende a realização de novas eleições.

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31